O Brasil é o terceiro país do mundo em número de doadores de medula óssea, ficando atrás somente dos Estados Unidos e da Alemanha, segundo a Irodat (International registry on organ donation and transplantation). São 3,5 milhões de doadores. O número porém, é insuficiente para os mais de 1,5 mil que aguardam na fila de transplante. Isso ocorre por causa da necessidade da compatibilidade entre doador e o receptor. #Hospital

Em 2014 foram 2.013 transplantes em todo país, um aumento de 202 doações em relação ao ano anterior, segundo a Associação Brasileira de Transplante de Órgãos (Abto). Na maioria dos transplantes a medula é a do próprio paciente. As chances de encontrar um familiar compatível são de 25%. Quando não há como receber a doação de algum membro da família o paciente pode recorrer ao banco nacional ou internacional de doadores. Segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca), encontrar um doador no cadastro nacional pode ser de uma em um milhão dependendo do tipo sanguíneo. Outro problema que torna a demora para o transplante, que pode chegar a um ano, é a falta de leitos nos hospitais. O Brasil possui um incentivo para criação de leitos. Atualmente são mais de 60 leitos para transplantes entre familiares e 27 para desconhecidos. Os leitos que são especiais devem fornecer proteção ao paciente que fica com a imunidade baixa.

Tire suas dúvidas

O transplante de medula óssea é feito como forma de tratamento para doenças como leucemia, linfomas, anemias graves e osteoporose. É necessário total compatibilidade caso contrário pode haver complicações para o receptor. Para candidatar-se ao Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (REDOME) é necessário ter de 18 a 55 anos, boa saúde, preencher um formulário e autorizara retirada de 5ml de sangue para testes de compatibilidade. Para isso procure o hemocentro mais perto da sua residência. Tatuagens, piercing e gravidez não são empecilhos para o cadastro. Devido a mistura racial brasileira encontrar doadores compatíveis é uma tarefa difícil. Caso sua medula seja compatível com alguém, entrarão em contato com você. Você tem o direito de escolha e pode desistir do processo de doação a qualquer momento. Não existem cortes e nem cicatriz para doação, o doador apenas sentirá mal-estar, com dor de cabeça, dor local e fraqueza. Após dois dias poderá retornar as suas atividades. O procedimento é feito com anestesia local ou geral. A medula é retirada da região da bacia e não há o risco de se ficar paraplégico.