É cada vez mais comum encontrar adoçantes em qualquer casa, restaurante ou lanchonete. Devido a essa popularidade, muitas matérias surgem a respeito dessa opção para adoçar líquidos e outros tipos de alimentos. Dentre as matérias, existem aqueles que falam bem e as que falam mal. Mas, afinal, eles são amigos ou inimigos da nossa saúde?

Existem muitos estudos em torno desse tema. Porém, especialistas dizem que nenhum mal foi comprovado em pessoas que fizeram o uso dos adoçantes de forma equilibrada. Hoje em dia, vários tipos de adoçantes são encontrados no mercado e cada um possui composição e características diferentes.

Publicidade
Publicidade

Existem os adoçantes naturais: Stevia, frutose, Manitol e sorbitol. E os adoçantes artificiais: Aspartame, sacarina, Ciclamato, sucralose e Acesulfame-k. Ambas as versões são aprovadas pela Associação Brasileira da Indústria de Alimentos Dietéticos.

Os mais vendidos nos mercados

Aspartame - É um adoçante ou edulcorante artificial, 200 vezes mais doce que o açúcar comum. Não é muito indicado usar em altas temperaturas, pois, ele perde parte do poder adoçante.

Sacarina - Adoçante ou edulcorante artificial, 300 vezes mais doce do que o açúcar normal. É também o mais antigo adoçante comercializado.

Ciclamato - Adoçante ou edulcorante artificial, 30 vezes mais doce do que o açúcar normal. Possui o mesmo sabor do açúcar normal, pois é derivado da cana de açúcar, mas sem calorias.

Publicidade

Frutose - Também conhecido como o açúcar encontrado nas frutas e no mel, 2 vezes mais doce do que o açúcar normal. Mesmo possuindo calorias, oferece a vantagem sobre o açúcar normal, pois, é natural e adoça o dobro com menos calorias.

Stevia - Uma planta original do Paraguai que possui grande poder adoçante. O líquido extraído dessa planta possui até 400 vezes mais doce que o açúcar normal, sendo 100% natural.

Dos adoçantes citados acima, somente a frutose é considerada calórica. Pessoas que sofrem de pressão alta devem evitar adoçantes como a sacarina e o ciclamato, pois, possuem considerável nível de sódio. Já os portadores de diabetes ou quem deseja controlar o peso, não devem fazer uso da frutose. É indicado o aspartame, stevia, sacarina, e sucralose.

Mulheres gestantes devem procurar um médico para que o mesmo indique o adoçante ideal. Até que se prove o contrário, os adoçantes são amigos, desde que sejam usados controladamente. A Associação Brasileira da Indústria de Alimentos Dietéticos (Abiad) indica a quantidade diária permitida:

Aspartame: 40 mg/kg de peso corporal

Sacarina: 5 mg/kg de peso corporal

Ciclamato: 15 mg/kg de peso corporal

Stevia: 4 mg/kg de peso corporal

Para fazer esse cálculo, basta multiplicar a miligrama indicada pelo seu peso corporal. #Dicas