O estudante australiano Alec Falkenham elaborou um creme capaz de remover a #Tatuagem da pele sem que o indivíduo sinta dor no local. Pesquisador no departamento de patologia da Dalhousie University, em Halifax, no Canadá, Falkenham está desenvolvendo e aprimorando o produto, que pode ser a solução para muitos tatuados arrependidos. Desenhos mal elaborados, mal executados ou até mesmo o nome de um ex-namorado, tatuado por impulso, podem deixar de ser um problema.

Segundo a CBC News, quando a tinta da tatuagem é injetada na pele, as células de defesa identificam o pigmento como um intruso e o "ingerem" para tentar eliminá-lo.

Publicidade
Publicidade

Após a cicatrização, algumas dessas células - chamadas macrófagos - resistem sob as camadas mais superficiais da pele, por isso a tatuagem permanece no corpo. O creme de Falkenham adere-se às células que carregam o pigmento, transformando-as em isca para novos macrófagos. Dessa forma, os antigos são "ingeridos" pelos novos e a tinta sai da pele sem danificar os tecidos.

O processo empregado na elaboração do produto não prevê inflamações, agindo inclusive como uma solução anti-inflamatória. Com esse método, a tatuagem começa a desbotar e é eliminada progressivamente pelo corpo. "Ao compará-lo à remoção de tatuagens a laser, em que há queimaduras, cicatrizes e bolhas, nós projetamos uma droga que realmente não tem muitos efeitos colaterais", declarou Falkenham em entrevista à CBC News.

A remoção com o creme deve custar aproximadamente quatro centavos de dólar por centímetro quadrado.

Publicidade

Até o momento, a droga apresentou resultados positivos em testes com porcos, mas ainda não se sabe quantas aplicações serão necessárias para a completa remoção da tinta. O produto está sendo patenteado e ainda não há previsões sobre quando deve chegar ao mercado.

Enquanto o creme não vem

O especialista Ricardo Alonso informou ao site Arte no Corpo que o processo de remoção de tatuagens a laser é três vezes mais dolorido do que fazer a tatuagem. O laser entra em contato com a tinta e vai destruindo o pigmento aos poucos, sendo posteriormente absorvido e eliminado pelo organismo. Atualmente, apesar de ser um método caro e doloroso, ainda é o mais eficaz e com menos chances de deixar cicatrizes na pele.