Dados da Sociedade Brasileira de Nefrologia (SBN) revelam que um em cada dez brasileiros tem problemas nos rins e 70% dos doentes renais crônicos descobrem a doença muito tarde. A insuficiência é provocada por diversas doenças, mas pode ser evitada. A ingestão frequente de água pode evitar o mal. O dia 12 de março foi escolhido para comemorar o Dia Mundial do Rim.

A campanha Dia Mundial do Rim 2015 tem como tema Saúde dos Rins para Todos e é realizada pela Fundação Pró-Rim, que promove várias ações de prevenção contra as doenças renais crônicas (DRC). Ela é silenciosa. O diabetes, a hipertensão e as doenças cardíacas contribuem para a DRC.

Publicidade
Publicidade

Na maioria dos casos, os pacientes descobrem o problema tarde demais. Neste momento, o único tratamento é a diálise.

Cuidados com o rim

A prevenção passa pela realização de exames. Os principais são o de creatinina, que verifica o quanto o rim está filtrando o sangue. Os médicos especialistas dizem que todos deveriam realizar este exame, especialmente os diabéticos e os hipertensos. Além deste, é necessário realizar o exame de urina, a microalbuminúria.

A doença renal crônica se manifesta quando os rins já estão comprometidos. Entre os sintomas estão acordar várias vezes à noite para urinar, ter urina espumosa ou com sangue, inchaços pelo corpo, perda do apetite, náuseas e vômitos.

O diagnóstico precoce é fundamental para evitar danos ao órgão.

Para se prevenir, entre os hábitos recomendados pelos médicos, estão: a ingestão de água com regularidade, o exame de creatinina, o controle do diabetes e da hipertensão, além da diminuição do consumo de sal.

Publicidade

Novos tratamentos

Pesquisadores buscam novas formas de tratamento. Uma delas é a cirurgia metabólica. O método é um dos principais tratamentos contra o diabetes. Uma pesquisa realizada em 2012 pelo IECS - Instituto de Educação e Ciências em Saúde do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, de São Paulo, revela que a cirurgia foi eficaz em 88% dos casos.

A cirurgia metabólica modifica o caminho dos alimentos pelo tubo digestivo, com isso, evita-se a passagem da comida pela porção inicial do intestino. O resultado é a diminuição da resistência dos tecidos à ação da insulina.

Outra solução para um paciente renal crônico é o transplante. O Brasil é o segundo lugar entre 30 países em casos de transplantes renais. Em 2014, foram realizados 5.639 transplantes de rim. Os doadores falecidos foram 4.255. A doação entre vivos foi responsável por 1384 casos. Os dados constam no Registro Brasileiro de Transplantes, veículo oficial da Associação Brasileira de Transplantes de órgãos.