Conhecer sobre como a tecnologia pode nos ajudar a compreender melhor pessoas com autismo para que possamos ajudar as pessoas afetadas é uma proposta diária, que pode ser desenvolvida na grande rede, desde que haja uma proposta de aprender mais sobre o assunto, para que nossas intenções possam ser transformadas em ações. No Dia Mundial da Consciência do Autismo (02/04) fica o alerta que é importante saber mais sobre o assunto.

Para pais, parentes e amigos não é fácil receber a notícia que temos na família uma pessoa com autismo. Não há como exprimir sentimentos, porque muitas vezes eles podem demonstrar comiseração e revelar incompetência para tratar de assunto tão importante.

Publicidade
Publicidade

A tecnologia muda as nossas vidas sob diversos aspectos, alguns dos quais nunca imaginamos que iria acontecer. Esta afirmativa pode ser aplicada a pessoas com autismo, principalmente considerando o efeito que tecnologias vestíveis podem provocar no tratamento de diversas situações de incapacitação das pessoas.

Aumentar a possibilidade de comunicação, a capacidade de aprender, o desenvolvimento de conexões comunitárias são atitudes e comportamentos que podem ajudar a mudar para sempre a vida destas pessoas e afastar qualquer sentimento de impotência, que pode ser considerado como o pior inimigo para o autista. O que ele quer não é pena e comiseração, mas sim receber um apoio das pessoas que o amam e a quem ele ama.

No dia mundial da consciência de autismo a Autism Speaks Inc. traz algumas considerações e depoimentos que revelam ações nas quais a tecnologia assistida foi importante e decisiva utilizada nos indivíduos do espectro.

Publicidade

Em uma destas declarações uma mãe coloca uma situação que pode comprovar este fato: "Meu filho tem três anos e depois de meses de uso meu laptop e telefone Android para jogar jogos, decidimos dar a ele um iPad. Foi a melhor decisão que tomamos. Sim, era caro, mas valeu a pena gastar o dinheiro e, em apenas duas semanas, meu filho está se comunicando pela primeira vez com outras pessoas. Ele está jogando jogos que ele nunca teve paciência para fazer e resolver quebra-cabeças. Aconteceu um milagre em nossa casa!" - Lynn, mãe de um garoto com três anos com autismo.

Este depoimento é apenas um dos que será possível encontrar na rede. Eles representam quase que um apelo para a tecnologia, principalmente aquela que envolve dispositivos de tecnologias vestíveis, passe a ser utilizada e direcionada para a solução de problemas pessoas que estejam neste espectro social e auxílio ao seu processo de inclusão social.