O dia está começando e ao se virar na cama ou tentar levantar-se com um pouco mais de pressa, aquela dorzinha chata, que apareceu algum tempo atrás, incomoda sua mão. Há horas em que uma crise impede que você digite aquele documento importante que está sendo aguardado por seu chefe.

Você foi pego pela mais comum das doenças reumáticas. A dor sentida em movimentos comuns indica a sua presença. A dor ocorre nas articulações. Ela tem cura com cirurgias corretoras. Mas se você perguntar para pessoas que fizeram diversos tipos de cirurgia para resolver este problema o que eles sentiram depois, a resposta poderá não ser agradável.

Publicidade
Publicidade

Para gáudio da indústria farmacêutica e alívio dos pacientes, os remédios para dor, na atualidade, atingem uma diminuição quase que total da dor, o que é bom. Mas é importante que sejam considerados os efeitos colaterais.

Só para não perder o ritmo, o tratamento mais indicado é cuidar para que estas dores não aconteçam. Recomendações existem, mas são ignoradas. Se acontecer, o tratamento mais indicado são os indesejados (por alguns) mas necessários exercícios físicos. O repouso, o controle do peso (que regula aquela costela gordurosa e aquela feijoada deliciosa), são complementos importantes Em último caso, depois que as dores se instalaram, a primeira solução são os remédios.

Onde ela aparece? Nos joelhos, coluna, quadril, mãos e dedos, aparatos todos indispensáveis para movimentação.

Publicidade

Ela ataca mais de 70% das pessoas acima de 70 anos. Fatores hereditários e fatores mecânicos podem estar envolvidos no aparecimento do chamado "bico de papagaio". As causas são fatores genéticos, mecânicos e metabólicos.

Mesmo com todos os cuidados, a não ser em casos raros, ela é teimosa e insiste em permanecer o que a leva a ser considerada uma doença crônica. Nossos avós e as pessoas mais idosas costumam ter a receita de um chá infalível. Antes de tomar consulte se ele tem alguma contra-indicação. De nada adianta melhorar a dor na mão e piorar o fígado. É possível regular o comportamento de alguns velhinhos mais chatos ameaçando com uma injeção nas juntas. Eles esquecem toda a rabugice. Quem já tomou sabe do que se está falando. Cuidado e prudência. A prevenção ainda é o melhor resultado, mas se for genética, boa sorte com o tratamento. #Terceira Idade #Medicina