A ideia de usar lasers para transformar olhos castanhos em azuis nasceu em um lugar improvável: o escritório de um dermatologista. Dirigindo para casa depois de ter algumas manchas de pigmentação removidas de sua pele a laser, Gregg Homer imaginou o que aconteceria se alguém usasse um laser semelhante sobre os olhos.

O inventor, que tem doutorado em biologia, fez uma pequena pesquisa e rapidamente percebeu o potencial da ideia. Em seguida, entrou em contato com a sua dermatologista e disse: "O que aconteceria se você usasse um laser em uma íris?".

A dermatologista eventualmente se juntou ao seu conselho de investigadores, e agora, quase 20 anos depois, a cirurgia está passando por testes em humanos na Costa Rica através da empresa de Homero chamado Estroma.

Publicidade
Publicidade

Gregg acrescenta que a mudança não é imediata, o laser é fixado em uma baixa energia de modo que o olho azul é revelado ao longo de um par de semanas.

Embora não tenha havido nenhum efeito adverso nas 37 pessoas que tiveram um dos olhos tratados, Homer disse que é muito cedo para dizer se haverá efeitos ao longo prazo, decorrente do procedimento. Oftalmologistas dizem que a principal preocupação de saúde, pelo menos teoricamente, é o glaucoma.

"Talvez você pode não vê-lo imediatamente, mas daqui a 10 anos, poderá ser um problema de saúde pública", Dr. Ivan Schwab, oftalmologista e porta-voz da clínica para a Academia Americana de Oftalmologia e professor de oftalmologia da Universidade da Califórnia, Davis, ao Discovery News.

"Eu não descartaria totalmente o procedimento, eu não vou dizer a você que não vai funcionar, mas a minha maior preocupação são os problemas de longo prazo", acrescentou.

Publicidade

"Outras complicações podem incluir inflamação da íris", disse Schwab, que observou que qualquer cirurgia ocular envolve riscos para o olho ou o paciente. "É uma ideia curiosa, e será interessante ver se há um mercado para isso", conclui o Schwab.

Até agora, nenhum dos pacientes nos ensaios têm experimentado um aumento na pressão que antecede glaucoma, disse Homer. Na verdade, a maioria tem mostrado uma diminuição. Homer disse que não vai liberar o procedimento para o público até que ele considere seguro o suficiente para a sua filha de 20 anos, que tem olhos castanhos. "Ela está obcecada com isso", disse ele.

Homer espera que o procedimento possa estar disponível em breve. Para ele, o tratamento deverá custar em média 5.000 dólares nos EUA e estará disponível em outros países rapidamente. #Inovação