O Ministério da Saúde divulgou, nesta terça-feira (7), uma pesquisa feita sobre os hábitos alimentares no Brasil. De acordo com a análise, os brasileiros estão ingerindo menos refrigerante, cerca de 20%, nos últimos 6 anos. Todavia, a bebida gaseificada ainda faz parte do cardápio brasileiro, sendo constatado que 20,8% da população toma refrigerante pelo menos cinco vezes durante a semana.

Sobre os malefícios da bebida, ela aumenta o risco de infarto em razão da quantidade de açúcar em sua composição. Mesmo que um indivíduo não ganhe sobrepeso com a ingestão diária, a bebida açucarada é prejudicial a saúde cardiovascular, principalmente nas mulheres.

Publicidade
Publicidade

Além disso, o refrigerante de cola pode prejudicar o cálcio dos ossos.

O órgão também afirma que ainda é alto o número de pessoas que comem carne com gordura em excesso e o consumo de frutas e vegetais deveria ser mais frequente. No ano de 2007, 32,7% da população ingeria carne com gordura, hoje, o percentual é de 29,4%. Em relação às frutas e legumes, os dados da Vigitel informam que apenas 24,1%, quase um quarto dos brasileiros, consomem a quantidade ideal. De acordo com a OMS, é recomendável ingerir 400 gramas por dia de verduras e frutas.

Feijão, um dos alimentos preferidos no Brasil

Conforme a pesquisa, 66% dos brasileiros come feijão mais de cinco vezes na semana. Esse índice permanece estável nos últimos anos, o que justifica a popularidade do prato trivial arroz e feijão.

Publicidade

Porém, é preciso adicionar outros elementos ao cardápio para que a alimentação seja balanceada. O ideal é optar por carnes magras e também saber dosar a quantidade ideal diária para consumo. A salada preparada com legumes frescos é sempre uma opção de acompanhamento mais saudável do que alimentos processados.

Para ressaltar a importância da escolha dos alimentos, o Ministro da Saúde, Arthur Chioro, apontou que 50% dos brasileiros adultos apresentam sobrepeso e 17% da população é obesa. Por isso, Chioro afirma ser necessário investir em programas que apoiem e incentivem a alimentação saudável.