A mais nova classificação taxonômica do filo Glomeromycota descrita pelo Dr. Redecker e colaboradores, trás como novidade a inclusão de um novo gênero, Septoglomus. Também pode-se notar nesta classificação a volta de gêneros como Cetraspora, Diversispora e Dentiscutata, que em 2010 não foram consideradas na classificação dos Dr. Walker e Schüßler, e ausência de gêneros muito antigos como Entrophospora e Slerocystis.

Essa classificação foi baseada em análises morfológicas e moleculares. Para a análise morfológicas, foram considerados esporos de fungos micorrízicos em diversos estágios de maturação, coloração dos esporos, paredes e germinação de esporos, hifas intra e extra-radiculares, arbúsculos, vesículas e células auxiliares.

Publicidade
Publicidade

Para a segunda, foram empregados métodos como a reconstrução filogenética e a análise das regiões 18S (SSU), ITS1-5.8S-ITS2 (ITS), e/ou 28S (LSU) do gene ribossomal.

Como resultado são descritas nove famílias (Acaulosporaceae, Ambisporaceae, Archaesporaceae, Claroideoglomeraceae, Diversisporaceae, Gigasporaceae, Glomeraceae, Pacisporaceae e Paraglomeraceae), e 18 gêneros (Acaulospora, Ambispora, Archaespora, Cetraspora, Claroideoglomus, Dentiscutata, Diversispora, Funneliformis, Geosiphon, Gigaspora, Glomus, Pacispora, Paraglomus, Racocetra, Redeckera, Rhizophagus, Scutellospora e Septoglomus) e pouco mais de 213 espécies de fungos micorrízicos.

Com esta nova descrição, espera-se fornecer informações mais claras, concisas e robustas a respeito da descrição e classificação de espécies de fungos micorrízicos, algo ainda muito confuso, servindo como base/padrão para novas pesquisas e eliminando distorções observadas durante o processo de classificação.

Publicidade

A comunidade científica espera também obter resultados mais conclusivos sobre interações entre espécies de fungos micorrízicos e espécies de plantas; a elaboração de protocolos para avaliação, descrição e mensuração da atividade destes microrganismos; a compreensão e identificação de possíveis espécies de fungos micorrízicos como indicadoras da qualidade de solo e de serviços de ecossistema. #Curiosidades