Uma pesquisa realizada pela Proteste apontou que o consumo de carne tem diminuído nos últimos anos. A população está buscando alimentos mais saudáveis, orgânicos e sustentáveis. Mesmo pagando um pouco mais caro, devido a produção ser reduzida e com mais cuidados manuais por parte dos agricultores - o que encarece o produto -, as pessoas preferem optar por introduzir no seu cardápio diário estes alimentos.

Segundo a pesquisa, 48% comeram menos carne no último ano. Entre os participantes do grupo, 89% trocaram por proteína vegetal. Um outro dado apontado pela pesquisa é que indivíduos com um grau elevado de escolaridade tem maiores probabilidades em adotar uma alimentação vegetariana, ou seja, tem mais disposição para uma alimentação balanceada e equilibrada.

Os hábitos alimentares das pessoas no Brasil tem mudado ultimamente por causa da preocupação em relação ao uso abusivo de agrotóxicos nas plantações, além da utilização de hormônios nas carnes que serão consumidas pela população.

Com o uso desregrado dos defensivos agrícolas,isso está estimulando alternativas de plantio. Algumas pessoas estão fazendo hortas urbanas que podem ser criadas em espaços pequenos nas cidades. Então, alguns alimentos são colhidos no próprio lar, com a segurança da procedência do que será consumido e ainda com a vantagem de reduzir os custos no orçamento doméstico.

Existem algumas opções de locais para se fazer as compras e abastecer a despensa, mas dentre as opções ofertadas o supermercado é o principal local de compras, seguido pelas feiras. Mas tem um porém, nem todas as feiras vendem verduras, hortaliças, legumes e frutas livres totalmente de agrotóxicos. Sendo assim, é mais seguro e sensato comprar em feiras orgânicas, na qual são comercializados alimentos isentos de pesticidas.

No que diz respeito a ingestão de comidas saudáveis e uma maior flexibilidade na mudança dos hábitos alimentares, as mulheres cedem com mais facilidade em comparação com os homens. Elas são responsáveis por direcionar toda a família para uma maior conscientização alimentar.