A pesquisa centrou-se em atividades de reprodução das traças, desenvolvida na Universidade Wageningen durante o ano que passou, a motivação para a pesquisa era verificar formas de diminuir reprodução da espécie e diminuir os efeitos nocivos que ela pode produzir. O resultado, apesar de publicado no dia primeiro de abril, é verdadeiro e tem suas aplicações.

Uma das considerações iniciais Van Geffen, o responsável pela descoberta, coloca que a noite não é mais sinal de tempo escuro. A poluição luminosa aumenta em uma razão de 6% ao ano. De forma jocosa o próprio cientista considera que os estudos sobre o efeito ecológico deste fenômeno, ainda estão totalmente nas trevas.

Publicidade
Publicidade

Para quem está procurando uma pesquisa para seu doutorado, por algum tempo esta ideia ainda continuará original.

Anteriormente, apenas para validar o currículo do autor da pesquisa, ele desenvolveu um estudo sobre os efeitos da luz artificial em mariposas e trouxe conclusões interessantes sobre o assunto, onde o cientista mostrou que os efeitos vão muito além de sua atração para os postes de iluminação.

Como consequência deste fenômeno, os machos não sabem mais em que estação estão vivendo e ficam sem saber o que fazer, isto significa, segundo o pesquisador, que machos e fêmeas das traças não estão mais se encontrando o que causa o declínio das populações de traças na Europa Ocidental. Esta foi a principal justificativa para o desenvolvimento da pesquisa: identificar as causas ecológicas para este fato.

Publicidade

O projeto recebeu o nome "Light on nature" (Luz na natureza).

Tendo o fato como comprovado resulta em que para que esta reprodução seja reativada é necessário menos luz, sendo necessário que as noites sejam mais escuras. O aprofundamento do estudo o levou a outra conclusão, o decréscimo ocorria de forma mais intensa na presença da luz vermelha, sendo que já que é possível alterar comprimentos de onda, efetuar esta redução de efeitos negativos, nos locais onde a reprodução natural ocorre, pode quase eliminar a falta de acasalamento.

A pesquisa terá continuidade evoluindo para estudos do que a luz pode provocar na vida dos insetos: quais os efeitos sobre a natureza viva do aumento ou diminuição da incidência da luz. O pesquisador conclama que outros pesquisadores contribuam com os resultados iniciais da pesquisa que poderão e analisar quais os benefícios que este conhecimento pode trazer. Para quem considera que nada acontece ao acaso e tudo tem uma justificativa para acontecer, saber qual é ela se torna importante.