Um estudo, que acaba de ser lançado, conclui que as mulheres têm mais poder do que seus maridos na tomada de decisões e dominam as discussões. "O estudo sugere que, pelo menos, o casamento é um lugar onde as mulheres podem exercer algum poder", disse o principal autor David Vogel, psicólogo da Iowa State University (ISU). Os resultados contrariam as investigações passadas. "A maior parte da literatura de pesquisa em psicologia tem sugerido que as mulheres têm menos poder", disse Vogel ao Times.

Como foi feita a pesquisa

Vogel, Megan Murphy, também da ISU, e seus colegas pesquisaram 72 casais em que os cônjuges eram uma média de 33 anos de idade e estava casada há cerca de sete anos.

Publicidade
Publicidade

A maioria dos participantes (66%) eram caucasianos, seguida por Ásia (22%), hispânicos (5%) e Africano americano (4%). Os 3% final representam "outras" nacionalidades.

Cada um dos cônjuges respondeu à pergunta sobre a satisfação do relacionamento e capacidade global de tomada de decisão. Em seguida, cada um dos cônjuges notou um problema de relacionamento que não poderia ser resolvido sem a cooperação do cônjuge.

Além de preencher um questionário de forma independente de satisfação do relacionamento, também foram convidados a responder a algumas perguntas sobre os seus temas escolhidos, incluindo o tipo de comportamento de resolução de problemas que geralmente ocorrem quando o assunto surge, e a importância do tema. Os casais então puderam discutir sobre os temas que eles consideravam problemáticos, durante 10 minutos.

Publicidade



Entre os assuntos mais debatidos, dinheiro e trabalho doméstico, se destacaram. Os cientistas filmaram os casais enquanto discutiam. Os pesquisadores não participaram na discussão.

O poder das mulheres no casamento

Ao final das discussões, os casais foram separados novamente. Cada um dos cônjuges foi então examinado e discutido os seus sentimentos e reações com o estudo. Os pesquisadores revisaram e codificaram as fitas de vídeo de interações dos casais usando um sistema de classificação de interação amplamente aceito. O sistema é composto por cinco dimensões para calcular a demanda e retirar comportamentos - evasão, discussão, culpa, pressão para a mudança e esquiva.

O resultado final da pesquisa para os cientistas foi que as esposas exibiram tentativas mais dominadoras e foram mais dominantes, ou seja, mais propensas a fazer com que os seus maridos cedam. Para Vogel, as mulheres se comunicam com mensagens mais poderosas e os homens estavam respondendo a essas mensagens concordando ou cedendo. "Há pesquisas que sugerem que um marcador de um casamento saudável é que os homens aceitam influência de suas esposas", disse Murphy. #Família #Curiosidades