Pesquisas desenvolvidas na Universidade de Stanford demonstram, por mais deprimente que este fato possa ser, que à medida em que as pessoas envelhecem, mais diminui a capacidade que as pessoas têm de formar novas conexões do cérebro. As pesquisas desenvolvidas por Ricchie Sapp junto a uma equipe de outros companheiros, visa tornar mais fácil a aprendizagem pelas pessoas idosas e possívelmente auxiliar na cura de lesões cerebrais.

A pesquisa teve início devido ao irmão gêmeo do pesquisador ter nascido com hidrocefalia (inchaço no cérebro) e apresentar dificuldades de aprendizagem, sendo considerado como dentro do espectro do autismo.

Publicidade
Publicidade

Seu crescimento ao lado do irmão e o registro de suas atividades lhe deu uma visão que foi importante no desenvolvimento de sua pesquisa, na qual apresenta resultados que podem ajudar as pessoas a "aumentar a plasticidade do cérebro" e seu potencial de aprendizagem, ainda que em condições desfavoráveis.

Como aluno ele foi chamado a desenvolver a pesquisa no laboratório de Carla Shatz, especialista em pesquisas sobre o cérebro. Os resultados apresentados deram ao pesquisador a medalha de excelência em pesquisa (premio Firestone 2013). Atualmente em pleno desenvolvimento de seu mestrado em biologia e com pesquisas do doutorado já encaminhadas.

A descoberta de uma proteína PirB foi publicada na revista Science Translational Medicine, que favorece a efetivação de novas conexões entre os neurônios.

Publicidade

O resultado de pesquisas utilizando ratos como cobaias indicou a possibilidade de recuperar alguns tipos de cegueira e ter sucesso no tratamento da doença de Alzheimer.

As pesquisas estão em andamento e novos resultados indicam que é possível o aumento da plasticidade cerebral o que facilitaria a aprendizagem em pessoas idosas, nas quais o número de conexões formadas pelos neurônios tende a diminuir.

A pesquisa ganha destaque dado pela titular do laboratório, por estar sendo desenvolvida por um aluno, o que pode abrir as portas do mundo da pesquisa na área para outros estudantes, agora em atividades de graduação. O instituto interdisciplinar Bio-X no qual as pesquisas são desenvolvidas promete para breve a divulgação de novos resultados. Um dos primeiros benefícios foi incubar novos departamentos de pesquisa. #Inovação #Terceira Idade #Medicina