Ameaça de epidemia de Febre Amarela preocupa os moradores de Goiânia, capital do estado de Goiás.

É preciso se lembrar os recentes acontecimentos em São Paulo, onde a dengue se transformou em epidemia. Havia o risco de que o mosquito transmitisse outras doenças. Mas as pessoas estão mais cuidadosas e aplicadas. Nas grandes capitais a situação deve, em breve, retornar à normalidade.

O perigo agora vem de outro estado. Está aceso o farol vermelho. Ele indica que não se pode deixar que novos casos de febre atinja mais pessoas, como aconteceu em Goiás.

Os primeiros casos aconteceram em Alto Paraíso, pequena cidade localizada a 400 km de Goiânia, na semana que passou.

Publicidade
Publicidade

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) divulgou dois casos. Uma das pessoas atingidas foi um jovem de 22 anos. Ele não resistiu ao ataque do vírus. O jovem não era vacinado. O outro atingido foi um turista belga. Ele já foi cuidadosamente tratado e está recuperado.

Os últimos casos no estado datavam de 7 anos atrás (2008). Na ocasião foram contabilizadas 16 mortes. Imediatamente o estado divulgou o fato para todos os moradores das zonas rurais. O aviso partiu das proximidades da capital até os limites do estado. Agentes da vigilância sanitária e meio ambiente, circundaram todo o entorno do Distrito Federal e Goiás. Agentes sanitários alertaram sobre os cuidados necessários.

O principal alerta foi sobre o caráter cíclico da doença. Significa que ela pode voltar. Alguns fazendeiros revelavam ter esquecido da doença.

Publicidade

Já fazia tempo não era detectada. Eles não sabiam dos cuidados e foram informados. Ficou o aviso que eles deveram ser redobrados para evitar a disseminação da febre na região rural.

Os agentes alertam para a validade da vacina, estabelecida em 10 anos, período após o qual a vacina deve ser revalidada. O reforço pode ser obtido nas secretarias próximas aos locais. Foi recomendado que os fazendeiros evitassem viajar para locais próximos a regiões de mata e zona rural. As orientações recomendaram a busca de imunização. Quem não tiver certeza se já tomou ou já venceu a vacina, pode (e deve) tomar novamente.

A doença é infecciosa. Macacos são hospedeiros naturais e o homem um hospedeiro acidental. A febre amarela silvestre tem como vetor o mosquito Aedes Aegipt nas zonas urbanas e o mosquito hemagogus nas zonas rurais.

Para garantir que os fatos não iriam se repetir os macacos também foram investigados. Após esta segunda-feira a situação foi considerada como controlada, mas não faltaram alertar para que os cuidados sejam redobrados.

Tome nota dos sintomas: dor muscular; dor de cabeça; febre alta; calafrios; prostração; náuseas, além da pele amarelada. Colabore com os agentes de saúde e com a diminuição das possibilidades de disseminação. #Medicina