A piada estava pronta e, obviamente, caiu na boca do povo. Desde maio, a Presidente Dilma tem sido vista pedalando nos arredores do Palácio da Alvorada, na companhia de seguranças. Diante das notícias sobre as chamadas pedaladas fiscais, das quais o governo teria lançado mão para aliviar as contas públicas, a associação foi imediata. Mas o fato é que Dilma se tornou a mais famosa garota-propaganda do Método Ravenna.

Desenvolvido pelo médico argentino Máximo Ravenna, o método exige uma boa dose de disciplina, e tudo indica que a presidente está seguindo à risca. Será mais uma das tantas dietas da moda?

O Método

A #Dieta propõe que o paciente reduza a quantidade de calorias por dia, para menos do que o organismo necessita.

Publicidade
Publicidade

Com um consumo que fica entre 800 e 1200 calorias, o corpo começaria a queimar sua reserva de gordura, possibilitando o emagrecimento rápido.

Ao contrário da maioria das dietas que preconizam comer a cada três horas, a Ravenna se limita a quatro refeições por dia. A ideia é que o paciente não pense em comida o tempo todo. Cortando os carboidratos em geral e incentivando o ritual das refeições principais, com entrada, salada, prato principal e sobremesa, o cérebro seria "enganado", e a pessoa teria a sensação de saciedade. Quanto ao que comer, nenhuma novidade em se tratando de emagrecimento. E quando se fala em sobremesa não se animem, é gelatina ou uma fruta.

O método não se limita às restrições calóricas. A participação em grupos chamados de "operacionais terapêuticos", como apoio psicológico, é considerada fundamental, assim como a atividade física.

Publicidade

A recomendação é que sejam praticados exercícios como caminhada, ciclismo ou natação de 20 a 40 minutos, quatro ou cinco vezes por semana.

Para compensar a falta de carboidratos, os especialistas da clínica receitam suplementos minerais e vitaminas.

De acordo com a Diretora Executiva, responsável pelo método no Brasil, Moema Soares, após atingir o peso desejado não existem alimentos proibidos, apenas a "medida certa para manutenção".

Na opinião da maioria dos endocrinologistas, dietas de perda rápida de peso são um incentivo, porém a tendência é que a pessoa volte a engordar, porque são restrições difíceis de suportar por longos períodos.

O Método é aplicado em 17 clínicas, instaladas em cinco países. No Brasil são três: São Paulo, Salvador e Brasília.

Considerando a performance de Dilma neste setor, os resultados são animadores. #Dilma Rousseff