O Mal de Alzheimer é uma doença do cérebro (morte das células cerebrais) que atinge primeiro a memória e depois as outras funções mentais, retirando a autonomia dos portadores. A seguir, conheça dicas para lidar com esta grave dificuldade.

A experiência de saber que um familiar foi diagnosticado com esta #Doença não é nada fácil. Tanto neste momento, quanto ao logo do tempo, momentos de tristeza, culpa, dúvidas e frustrações são sentimentos comuns às pessoas que convivem com o doente. Tais sentimentos não significam fracasso! São sentimentos humanos e perfeitamente normais. O importante é não desistir, e marcar esta caminhada com o máximo de amor, cuidado e compreensão.

Publicidade
Publicidade

Na primeira fase, a pessoa portadora de alzheimer começa a ter lapsos de memória e perder a noção de quantidade (passa a ter dificuldades para lidar com dinheiro, por exemplo).

Já na segunda fase, ela precisa de uma supervisão nas tarefas rotineiras. O indicado é que ela tenha um acompanhante sempre que saia de casa. Também é recomendado que ela não dirija mais.

A terceira é a fase da dependência total. O paciente pode apresentar dificuldade ou perda de linguagem e alucinações.

A doença geralmente acentua características comportamentais do indivíduo. Por exemplo, pessoas introvertidas tendem a ficar ainda mais isoladas e caladas.

Algumas dicas que podem ser úteis no dia-a-dia:

- Deixe a pessoa fazer as atividades com o máximo de autonomia possível. Apenas esteja presente e ajude quando for necessário.

- Procure criar ou manter a rotina para que o idoso se sinta mais seguro e ativo.

- É importante ter cuidado com os talheres. Facas sem serras são mais indicadas.

- Mantenha os objetos da casa no mesmo lugar.

- Fotografias e músicas de sua época são excelentes ferramentas para estimular a memória, além de proporcionarem momentos alegres.

- Busque estimular o raciocínio do paciente com jogos, livros, revistas e jornais, sempre com o nível intelectual que ele já possuía.

- Adeque o banheiro às necessidades do idoso. Uma cadeira para o banho e barras de apoio são ótimas opções.

- Procure ser paciente e não confrontar, nem tentar convencer o idoso quando este disser algo sem coerência ou tiver uma confusão visual ou auditiva. A melhor atitude é ser tolerante e mudar de assunto.

- Dê preferência à objetividade e frases curtas ao falar, para facilitar a compreensão.

Lembre-se de que o amor, a paciência e o companheirismo são fundamentais para a vida do idoso!  #Família #Terceira Idade