Ex-fumantes também estavam no grupo de risco em ter câncer, mas não aqueles que deixaram o hábito 10 anos ou mais antes de terem a glândula da próstata removida - a descoberta publicada pelo jornal European Urology, faz jus ao que parece mais possível, que há um link entre fumar e o câncer de próstata.

Pesquisas anteriores têm mostrado que fumantes têm mais possibilidades de morrer dessas doenças, mas os resultados de outros estudos tem sido menos conclusivo. Essa nova investigação olhou os dados de 7.191 pacientes austríacos e americanos que tenham tido sua próstata retirada no período entre 2000 e 2011.

Em um período de cerca de 28 meses, fumantes recentes que fizeram a remoção da próstata tinham 80% de chance do retorno do câncer após cirurgia, do que aqueles que nunca fumaram.

Publicidade
Publicidade

Fumantes estavam com 63% mais de risco, mas depois de 10 anos de deixar o tabaco, a chance deles de ter um caso de câncer, caiu para o mesmo nível daqueles que nunca fumaram.

O professor responsável pela pesquisa Shahrokh Shariat, da Clínica Universitária de Urologia de MedUni, em Viena, disse: "Nosso estudo encontrou a importância de informar para um paciente com câncer de próstata sobre a negatividade dos efeitos do cigarro. Nunca é tarde para parar de fumar, pelo contrário, nosso estudo mostra que faz sentido mesmo sofrendo com câncer de próstata."

Os pacientes que tiveram um aumento do tumor na época do diagnóstico foram excluídos do estudo, nenhum dos participantes tiveram ou receberam quimioterapia, radioterapia, terapia hormonal e radioterapia pós cirúrgica.

Doutores e especialistas ainda estão fora do estudo que liga o cigarro e o câncer de próstata.

Publicidade

Alguns estudos anteriores têm associado o hábito com o desenvolvimento da doença enquanto alguns têm indicado nenhuma conexão entre elas.

"Muitas questões sobre o câncer de próstata e o cigarro ainda estão para serem respondidas", disse Professor Shariat, e completou "Estudos futuros são contudo necessários para produzir respostas satisfatórias". #Medicina