O mau hálito é um assunto que incomoda a grande maioria da população e que é pouco falado abertamente, por ser bastante constrangedor, mas que também pode ser facilmente tratado. Ao contrário do que muitas pessoas imaginam, o mau hálito, em mais de 90% dos casos decorre de problemas bucais, e apenas de 5 a 10% de problemas extra bucais. Mesmo existindo mais de 60 causas conhecidas para o mau hálito, o maior causador do odor é a saburra lingual.

A saburra lingual caracteriza-se por placas bacterianas que ficam impregnadas na língua acumulando sujeiras e bactérias. A causa mais frequente é a diminuição da produção de saliva, seguido da descamação excessiva do tecido epitelial da mucosa bucal e presença de cáseos amigdalianos.

Publicidade
Publicidade

Pouca gente sabe, mas a língua tem 4 diferentes formatos, o que dificulta ainda mais uma limpeza eficiente, exigindo produtos mais específicos que auxiliem na remoção da saburra lingual.

Existe no mercado atualmente alguns produtos que podem ajudar bastante na hora de solucionar o problema que aflige milhares de brasileiros. Os mais comuns são os raspadores linguais, que podem ser encontrados tanto como parte da escova de dente quanto separados. Segundo especialistas, os produtos separados retiram de forma mais eficaz quando comparados com as escovas dentais, que já acompanham o produto. Os raspadores podem ser usados tanto sozinhos quanto com auxílio de soluções limpadoras da saburra, vendidas em casas especializadas.

A solução limpadora disponível no mercado brasileiro foi desenvolvida pelo dentista pós-graduado em halitose pela Faculdade São Leopoldo Mandic, Dr.

Publicidade

Maurício Duarte da Conceição, que também é autor do livro "Bom Hálito e Segurança! Metas Essenciais no Tratamento da Halitose" e diretor da clínica Halitus. O dentista chegou a apresentar os seus produtos em congressos internacionais e revistas científicas comprovando sua eficácia. 

O estresse, a má alimentação, passar mais de 3 horas sem se alimentar, e a diminuição da saliva são fatores que agravam o mau hálito e devem ser controlados. Não conversar sobre o assunto também é um agravante, impedindo o paciente de relatar o problema ao dentista, dificultando o tratamento adequado. #Dicas #Comportamento