Nova pesquisa afirma afirma que o porquinho-da-índia é aliado das crianças autistas.

Existem diversos estudos que são desenvolvidos de acordo com as necessidades estabelecidas pela Associação de Famílias para o Bem-Estar e Tratamento da Pessoa com Autismo (Afeto). Estes estudos visam a descoberta de terapias alternativas para tratamento de pessoas afetadas pelo autismo.

Eles tem como objetivo diminuir o nível de estresse dos cuidadores e das crianças. A intenção é evitar submeter as crianças à necessidade de tratamentos ambulatoriais. Desta forma criam-se programas efetivos de análise comportamental que podem ser desenvolvidos por amigos, familiares ou atendentes.

Publicidade
Publicidade

O alto estresse ao qual os responsáveis são submetidos e que também é sentido por crianças com autismo merece cuidados e estudos especiais. Diversos estudos são desenvolvidos para proporcionar tratamentos alternativos que possibilitem reduzir os níveis de ansiedade e de estresse dos pacientes.

Um destes estudos foi recentemente publicado na revista científica Developmental Psychobiology. O estudo concluiu que o contato de crianças autistas com pequenos animais é capaz de reduzir essa ansiedade e o estresse. Diversas alternativas de colocação de crianças na presença de outras crianças, de brinquedos educativos, surtiam efeitos menores na proposta de redução, do que a colocação das crianças junto com estes pequenos animais. Na experiência em foco foram utilizadas como cobaias pequenos porquinhos-da-índia e os resultados foram animadores e apresentam 43% de redução nos níveis de estresse.

Publicidade

Em sua conclusão o estudo considera que os animais podem agir como amortecedores sociais e diminuir o nível de estresse. Eles representam um apoio que familiares, amigos e atendentes precisam para enfrentar com melhores resultados momentos de crise, que são frequentes e que "desmontam" a estrutura psicológica destas pessoas. Faça você mesmo esta experiência com pessoas portadoras destas desordens. Os mais favorecidos serão as crianças. Mas todas as pessoas envolvidas no cuidado destas crianças serão, de uma forma ou outra, beneficiados. #Medicina