Adquirir um corpo em ótima forma é o sonho de qualquer pessoa, principalmente para as mulheres. Mas uma dieta radical sem acompanhamento médico pode trazer graves problemas, como foi o caso de Cintia Cunha, de apenas 37 anos, que no desejo excessivo de emagrecer rápido, ainda conseguiu perder 45 kg em seis meses, mas o resultado trouxe também a sua morte no último domingo (12), com falência múltipla dos órgãos, caso ocorrido em São Paulo.

Tudo começou com uma brincadeira de mau gosto de um amigo chamando-a de "gorda e que não conseguiria nada na vida dessa forma". No entanto, naquele momento, a mulher pesava 115 kg, mas já tinha perdido alguns quilos.

Publicidade
Publicidade

Depois de ouvir o comentário maldoso, ela não resistiu em tomar a decisão de emagrecer a qualquer custo.

O erro de Cintia foi fazer uma dieta severa, por conta própria e sem ajuda médica. Consumia apenas 400 calorias por dia, quando o normal é ingerir 2 mil calorias, no caso das mulheres. Ela tomava apenas suco sem comer nada, com desculpas de que era para se desintoxicar. Com isso, sua imunidade baixou, ficando anêmica. Além de já ter problemas de saúde por causa da obesidade, com isso sua situação só piorou a cada dia.

De acordo com uma amiga chamada Lucilene Peters, Cintia deu a sua primeira entrada no hospital em março. Desde então, tudo virou um pesadelo, pois surgiu uma infecção, logo após uma pneumonia, além de ter problemas no fígado e no coração.

"Mesmo com toda essa situação de risco de morte, ela vivia sorrindo, não reclamava de nada, era uma pessoa iluminada, capaz de ajudar seus semelhantes.

Publicidade

Antes dessa dieta incorreta, ela foi ainda ao nutricionista para buscar uma dieta correta para emagrecer. Mas a palavra negativa de seu colega fez com que ela tomasse outro rumo impensável, pois o errado não foi ela emagrecer, mas a maneira de buscar isso", conta a amiga overloquista Lucilene Peters.

Outra amiga, Madlon Tavares, comerciante, também falou que Cintia sofria muito com problemas frequentes por causa da obesidade mórbida, além dos problemas recentes causados pela dieta exagerada.

Cintia tomou uma atitude excelente de alerta para mostrar às pessoas sobre sua situação atual, gravou um vídeo no dia 17 de abril e postou na sua página do Facebook, quando a mesma estava internada recebendo uma transfusão de sangue, dizendo (suas próprias palavras):

“Sabe o que é isso? Isso é o resultado de um emagrecimento rápido, sem saúde e feito por conta própria, de qualquer jeito. Uma anemia profunda, órgãos que estão em falência. O resultado é esse: vivo internada na UTI, vivo doente.

Publicidade

A gente tem que procurar se amar como é. Em primeiro lugar, a saúde. Mas, não, e nunca mais, a babaquice da #Opinião alheia”.

O vídeo do desabafo de Cintia teve, surpreendentemente, mais de 7 mil compartilhamentos e recebeu quase 700 mil visualizações, mas foi removido nessa terça-feira (14) no começo da tarde da rede social.

Depois deste ato, ela ainda deu várias entradas no hospital, mas os medicamentos não surtiram mais efeito para a sua saúde se restaurar, pois a mesma já estava numa cama, não podendo se levantar mais. Cintia entrou em coma na madrugada deste domingo (12) e não resistiu à falência múltipla de órgãos.  #Medicina #sistema de saúde