Um dado bastante curioso, e, ao mesmo tempo, preocupante, foi apresentado no livro: “Viver é perigoso?”, lançado recentemente na Inglaterra, pelos britânicos Michael Blastland, jornalista, e David Spiegelhalter, estatístico e professor da Universidade de Cambridge.

Segundo os autores da obra, um em cada 45 enfartes acontecem durante a relação sexual. A afirmação preocupou não apenas os ingleses e britânicos, mas todo o mundo que soube da notícia.

Apesar do risco apontado pelos escritores do livro, médicos do Reino Unido trataram de acalmar imediatamente a população, e o mundo todo, é claro. De acordo com os especialistas, somente pessoas que apresentam histórico de doenças do coração devem ter precaução durante o ato sexual, tomando os cuidados necessários para realizar o sexo com segurança, e sem excessos.

Publicidade
Publicidade

Ainda de acordo com os médicos ingleses, por se tratar de uma atividade física, a realização do sexo gera o crescimento da frequência cardíaca na pessoa, além do aumento da pressão arterial, como ocorre também em qualquer tipo de exercício físico.

Por conta disso, pessoas que apresentam doenças como: hipertensão, arritmias cardíacas, alterações nas válvulas do coração, angina, insuficiência cardíaca grave e algum episódio de enfarte, seja um apenas, devem procurar por orientação médica antes de realizar qualquer atividade sexual. #Livros #Curiosidades #Medicina