Nesta segunda-feira, 28, chegou a notícia divulgada pela Nasa, que todos esperavam há muito tempo, de que existe água em Marte. Como a água é uma condição essencial para a vida, os cientistas planetários, como são chamados na Nasa, não descartam a possibilidade da existência de ecossistemas no planeta vermelho, talvez de micróbios, mas, mesmo assim, de seres vivos.

Segundo a Nasa, as manchas escuras que descem pelas elevações na cratera de Hale, formando "linhas recorrentes nas montanhas", ou RSL (Recurring 'Linae' on Slope), de 110 m por 50 m, aproximadamente, são rios sazonais, que permanecem líquidos, mesmo nas temperaturas de 20 graus Celsius negativos do verão marciano.

Publicidade
Publicidade

Isto acontece porque a água tem um aspecto lamacento e não cristalino e é muito salgada. Essa água talvez indique a presença de rios e oceanos no passado do planeta vizinho.

Como está previsto que daqui a vinte ou trinta anos Marte seja colonizado pela Terra, a presença de água no planeta facilitará a vida de quem for para lá. Tudo indica que essa água, cuja origem ainda é desconhecida, pode vir a se tornar potável.

Atualmente, a jornada até Marte é de seis meses, o que é considerado pouco. Marte, afinal, está cada vez mais perto da Terra, o que nos leva a pensar que o seu atual aspecto árido deve servir de alerta para que não deixemos que isso aconteça com o nosso planeta. Cientistas da Nasa descobrem água de rios em Marte

As imagens obtidas pela Nasa, produzidas por um computador 3D, foram feitas com o Espectrômetro de Reconhecimento Compacto de Imagem e a câmera do HiRise (High Resolution Imaging Science Experiment) no projeto da órbita de reconhecimento de Marte (Mars Reconnaissance Orbiter Project), experimento criado pelo Laboratório de Propulsão de Jato da Nasa e operado pela Universidade do Arizona, em Tucson, uma divisão do California Institute of Technology, em Pasadena. 

Ainda segundo a Nasa, outras pesquisas revelaram a presença de RLS recentemente.

Publicidade

Primeiro, foi na cratera Horowitz, em outubro de 2007, depois, na cratera Garni, em março de 2013. Todas essas imagens indicavam a possibilidade de água, mas só agora foi confirmada a sua existência.  #Curiosidades #EUA #Blasting News Brasil