Após a divulgação de estudo, no qual foi verificada a grande possibilidade de uma pessoa sofrer um derrame, por consequência de uma jornada de #Trabalho excessiva, o site #Blasting News Brasil procurou um especialista para abordar o assunto. O psicólogo Paulo Benevides se considera um defensor da vida, e diz nunca abrir mão de defendê-la, sempre antes de tudo e em primeiro lugar.

É preciso colocar a vida em primeiro lugar. A sugestão que eu dou sempre para quem me procura é: vai viver! Você tem uma vida em você, então, viva! O problema hoje é que as pessoas querem o excesso. Ninguém mais quer o necessário, ou seja, o que precisa, de fato, para viver.

Publicidade
Publicidade

Essa coisa de querer ter muito dinheiro vem muito de querer manter padrões de vida aquém das próprias possibilidades. Tudo agora é ostentação. Ninguém mais quer ser simples. Daí surgem os problemas”, critica Benevides.

“Sei que existe também a necessidade de pagar uma conta, uma escola do filho, uma roupa nova, mas há também muita coisa que é desnecessária. Se a pessoa enxergar isso, vai ver que dá sim para viver com um trabalho que lhe permita gastar com o necessário e ainda sobrar tempo para cuidar da saúde, que é, e tem que ser sempre, primordial”, garante o psicólogo. #entrevista