O transtorno do espectro do autismo é mais comum do que se imagina. Aproximadamente, 1% da população pode está dentro do espectro. No Brasil, calcula-se que sejam 2 milhões de pessoas nessa condição. O cirurgião-dentista mais capacitado para atender esse público é o especialista em Odontologia para pacientes com necessidades especiais. Embora sejam poucos no Brasil, em torno de 560, são os mais capacitados para esse atendimento.

A prevenção de doenças bucais como a cárie e a doença periodontal é feita basicamente com uso de escova, fio dental e dentifrício. No espectro do autismo, há um grande número de crianças que apresentam dificuldade de aceitar a escovação, talvez por alterações sensoriais pertinentes ao quadro do autismo.

Publicidade
Publicidade

Muitas mães reclamam que os filhos não abem a boca ou mordem a escova, não sendo satisfatória a atividade.

A mãe deve iniciar precocemente a visita ao dentista e receber orientações sobre prevenção de cárie e doença periodontal, além de incluir o dentista na rotina do filho com autismo. Usar uma escova de cabo longo em muitos casos favorece a atividade, pois a mão da mãe se mantem mais distante da boca, e normalmente o paciente no espectro do autismo tem muita dificuldade de aceitar o toque.

Quando se usa uma escova de pediatria com o cabo curto, a mão de quem está auxiliando na escovação fica muito próxima a boca da criança. Isso causa um desconforto e ele pode se desorganizar. Usar alguns palitos de madeira para manter a boca aberta é bem interessante e a criança pode colaborar, além de evitar de mastigar a escova ou morder os dedos do auxiliar de escovação.

Publicidade

A contagem de tempo também é muito útil, ou seja, contar até 10 ao escovar alguns dentes, dar um descanso para respirar e recomeçar contando novamente. Quando a criança sabe que a ação vai ter fim ela fica menos ansiosa e se desorganiza menos. Sabe que acaba quando chegar o 10. Mas quando não é estabelecido um tempo de término a ação fica muito confusa e a criança se desorganiza.

É possível usar um reforço positivo para comemorar a escovação dos dentes, mas lembre que o reforço nunca deve ser uma guloseima. Use o dentifrício com flúor para prevenir cáries. Se a sua criança ainda não sabe cuspir, você pode treinar essa atividade com ela, "brincar de cuspir". É muito importante o uso do flúor, mas ele não deve ser ingerido. A quantidade de dentifrício na escova dental equivale ao tamanho de um grão de arroz.

Não deixe que sua criança manipule o dentifrício sem sua supervisão e oriente as educadoras na escola. Agende a visita do seu filho ao dentista e consulte a lista de profissionais no site do CRO - Conselho Regional de Odontologia, de seu estado. #Dicas #Comportamento #Blasting News Brasil