Os registros do INMET (Instituto Nacional de Meteorologia) chegaram a marcar 36,5°C na capital São Paulo, em 15 de outubro, foi a maior temperatura registrada para o ano de 2015. Logo após o inicio da primavera os especialistas dizem que a temperatura está 4°C acima da média e assim será até a próxima primavera. O Professor do Instituto de Astronomia Geofísica e Ciências Atmosféricas da USP, Ricardo de Camargo, atribui este calor todo ao fenômeno El Niño.

As altas de temperatura não afetam somente a região sudeste do país, em Sergipe foram registrados 9°C acima da média, a diferença é que Sergipe é uma cidade litorânea em que a brisa do mar e as formações geológicas favorecem a circulação dos ventos o que diminui a sensação de calor.

Publicidade
Publicidade

Cidades grandes e com morros e montanhas como São Paulo e Rio de Janeiro, sofrem muito com as altas de temperatura. Não só o calor será um problema, mas também a baixa da umidade relativa do ar.

Cuidados e recomendações

Fatores climáticos ocasionados pelo fenômeno El Niño aumentará a seca na região nordeste do país e as chuvas na região sul.  O ideal é que os cidadãos tomem alguns cuidados para evitar as doenças típicas de tempo seco e calor excessivo. #Alimentação Saudável e leve é recomendada para dias muito quentes e obviamente a hidratação constante com a ingestão de água e sucos naturais. A instalação de condicionadores de ar pode ser uma solução para o calor, mas não para a baixa umidade do ar. O que mais preocupam os especialistas na área de saúde é a baixa umidade, pois com ela as doenças respiratórias aparecem e levam muitas pessoas a procurarem os hospitais com crises de asma, sinusite entre outras.

Publicidade

A utilização adequada de um umidificador de ar dentro de casa é aconselhado para os dias secos.

A previsão para o término dos efeitos El Niño, segundo o professor Ricardo de Camargo, está para a metade do ano que vem (2016). Como se trata de um fenômeno natural, o melhor é adaptar-se as mudanças climáticas para prevenção dos malefícios deste fenômeno. #Viagem #Mudança do Clima