De acordo com a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), a quantidade de homens que encararam as cirurgias plásticas estéticas, quadriplicou nos últimos cinco anos, ou seja, entre os anos de 2009 e 2014. Os números de intervenções cirúrgicas no público masculino ultrapassaram a casa de 72 mil cirurgias para 276 mil por ano (31 a cada 5 horas na média). A lipoaspiração, a ginecomastia (redução das mamas) e a cirurgia de pálpebra vêm na frente das cirurgias mais executadas.

Luiz Henrique Ishida, que é o diretor da SBCP e empreendedor sênior da pesquisa em questão, disse que das 712.902 intervenções estéticas realizadas no Brasil em 2014, “a presença masculina se elevou de 12% para 22,5%.

Publicidade
Publicidade

A transição de cultura acarretou na eliminação gradativa de idéias pré-concebidas e além do mais, no território brasileiro, a cirurgia plástica foi popularizada, tendo o Brasil se tornado uma referência em âmbito mundial neste quesito”.

Ishida acredita que fatores como a presença de homens com mais idade no ambiente competitivo de trabalho, o aumento da perspectiva de vida dos brasileiros, a eterna busca pela “fonte da juventude”, o relacionar-se com mulheres bem mais jovens, incrementaram as cirurgias plásticas estéticas masculinas.

“O envelhecimento da face é tido como um exemplo de uma aparência feia ou algo ruim dentro do mercado de trabalho. Sendo assim, existem pacientes com 70 anos fazendo cirurgias plásticas, porque a vida social mais intensa exige cada vez mais este tipo de “boa aparência” e as parceiras mais novas estão querendo homens também mais jovens em aparência ao menos”, completou Luiz Ishida.

Publicidade

Conversas francas e esclarecedoras entre pacientes e cirurgiões plásticos competentes fazem com que estes primeiros se sintam confortáveis, seguros e percam o preconceito em relação às cirurgias plásticas de caráter estético para a classe masculina.

Tanto é assim que o cirurgião plástico Marcelo Wulkan, que é um dos membros da renomada Sociedade Americana de Cirurgia Plástica, afirma que “os homens optam por procedimentos não tão invasivos, querendo segurança e que o resultado seja natural. As cirurgias para os homens auxiliam, então, na auto-estima, nas questões estéticas e de saúde; enfim, conclui-se que exibir uma aparência natural e ter segurança no procedimento, são os 2 grandes componentes visados pelos homens". #Curiosidades #Medicina #Comportamento