Diariamente acontecem pequenos - grandes “milagres científicos” na #Natureza e no mundo vivo, que acabam nem sendo notados pela maioria das pessoas. Um exemplo disso é quando as plantas se utilizam de todo um mecanismo que extrai energia da luz do sol e gás carbônico do ar, produzindo assim o alimento, que é composto na sua maioria por glicose, ou em outras palavras, as plantas fazem fotossíntese. Uma outra peculiaridade bastante importante na fotossíntese é que quando a planta está produzindo glicose, ela também está eliminando oxigênio, que é essencial para a vida no planeta. 

O mais incrível de tudo isto ainda está por vir, pois estudos e pesquisas realizados estão conseguindo comprovar, que determinadas espécies de plantas ainda são capazes de uma outra façanha até então, pouco ou quase nada conhecida - elas conseguem calcular a quantidade exata de alimento (glicose) ideal que consumirão ao longo da noite. 

O “milagre vegetal” pode ser entendido do seguinte modo: enquanto é dia (existe luz solar), as plantas conseguem transformar dióxido de carbono (CO2) da atmosfera em açúcares e amido.

Publicidade
Publicidade

Durante o período noturno, um número bastante variado das espécies se nutrem do amido que foi estocado no dia ou quando existia o período de sol, evitando a desnutrição, produzindo e crescendo

O detalhe importante disso tudo é que as plantas produzem e processam o amido em estoque no ritmo certo, ou seja, é algo que nem é devagar ao extremo e nem rápido demais, onde acabam consumindo aproximadamente 95% do amido produzido no dia anterior até a próxima manhã, quando imediatamente iniciam uma nova cadeia produtiva de mais amido. 

 A Arabidopsis thaliana que é uma planta da família das mostardas é que propiciou o embasamento desses experimentos, sendo que os estudiosos comprovaram que a planta em questão, controla e regula criteriosamente o quanto deve se utilizar de suas reservas alimentícias conforme durar a noite, não tendo importância se essa dure 8, 12 ou 16 horas até o próximo alvorecer, dependendo da região do globo em que a planta está. 

Há a divisão exata e uniforme da quantidade de amido em estoque de acordo com a duração da noite pelas plantas, possibilitando assim, a taxa ideal de consumo necessário.

Publicidade

É tudo a mais pura matemática, pois a planta tem de “saber” a quantidade exata de amido para reservar; a contabilização do fator tempo diante do cenário e como esses cálculos são realizados. Somente estudos mais aprofundados têm a chance de dar respostas a estas perguntas. #Curiosidades #Mudança do Clima