O professor aposentado Gilberto Orivaldo Chierice, que desenvolveu estudos com a droga Fosfoetanolonamina Sintética por 20 anos na USP de São Carlos, afirma que a droga cura o câncer. Ela vinha sendo distribuída gratuitamente na universidade e os resultados nos pacientes que utilizaram deste tratamento alternativo foram muito positivos.

Recentemente, a distribuição foi suspensa por uma portaria da USP, com alegação de que o medicamento não era registrado junto a ANVISA. Considerações contra a distribuição da Fosfoetanolamina: Segundo a Agência, não houve ingresso formal de nenhuma requisição para o registro da substância, faltando ainda dados clínicos para transformar esta droga em medicamento.

Publicidade
Publicidade

Fosfoetanolonamina Sintética é a combinação de duas substâncias bastante comuns, a monoetanolamina, que é utilizada na confecção de xampus, e o ácido fosfórico, que é um conservante de alimentos. A ação da Fosfoetanolonamina no organismo é bastante simples: ela funciona como um marcador celular e faz com que as células cancerígenas sejam identificadas pelo sistema imunológico, que destroem estas células. O tratamento pode durar de seis a oito meses.

O mais interessante é que os resultados dos estudos obtidos na USP foram divulgados em pelo menos 10 revistas de oncologia e já existem outros países interessados em produzir a droga, que tem um custo baixo, cerca de R$ 0,10 por cápsula. Com a proibição da distribuição da substância, muitos pacientes têm recorrido a Justiça para conseguir liminarmente o direito ao medicamento, que é uma esperança no combate a #Doença.

Publicidade

Na última sexta-feira, dia 29 de outubro, foi realizada uma audiência pública no Senado Federal para definir diretrizes quanto a distribuição e uso da substância, porém, até o momento, não se tem notícias das ações a serem aplicadas.

É evidente que o baixo custo do medicamento, e sua eficacia, já comprovada, no tratamento de uma doença que movimenta milhões no setor farmacêutico, é o principal pivô para os entraves burocráticos enfrentados por pesquisadores e pacientes na questão da distribuição da Fosfoetanolonamina Sintética.

Resta torcer para que o bom senso, e o amor ao próximo, vença a ganância e a intransigência, e que as pessoas que aguardam um milagre na cura do câncer possam ser atendidas a tempo.  #Medicina