Uma mulher precisou passar por uma cirurgia cardíaca depois de ingerir uma lata de bebida energética, o que elevou perigosamente a taxa de batimento do seu coração. Charlotte Aston tinha 18 anos quando foi diagnosticada com um batimento cardíaco anormalmente rápido

Os médicos descobriram que o pulso dela tinha subido rapidamente para 247 batimentos por minuto - quase três vezes mais rápido que o nível normal.

Durante algumas semanas, ela foi regularmente internada no hospital para tentar abaixar sua frequência cardíaca. Eventualmente, ela teve que passar por cirurgia de ablação a laser em seu coração para corrigir o batimento cardíaco irregular - durante o qual ela tecnicamente "morreu" oito vezes.

Publicidade
Publicidade

Charlotte diz que as bebidas energéticas arruinaram a sua vida. Seus problemas de saúde forçaram a abandonar o emprego e a impediu de ir para a universidade ou aprender a dirigir. Agora, com 23 anos, ela quer alertar outras pessoas sobre os perigos das bebidas energéticas: "O que eu passei foi um inferno e eu não desejaria isso ao meu pior inimigo. Eu tinha que ser levada às pressas para o hospital cada vez que minha frequência cardíaca aumentava novamente".

Ela acrescentou: "Os médicos avaliaram todo o meu histórico médico, e concluíram que a causa era as bebidas energéticas. Nunca me ocorreu que poderiam causar problemas. Tudo que eu queria era ter uma bebida energética para passar meu turno - mas tem desarrumado toda a minha vida". Poucas semanas depois de seu aniversário de 18 anos, ela desmaiou em casa e foi levada às pressas para o hospital. 

"Cerca de três meses depois do meu aniversário de 18 anos eu estava apenas sentada em casa relaxando quando, sem qualquer aviso, eu, de repente, desmaiei.

Publicidade

Eu estava semi consciente, mas eu acho que o choque do que estava acontecendo me fez desmaiar. Era como se eu pudesse sentir o meu coração pulando para fora do meu peito. Foi aterrorizante e algo que eu nunca tinha sentido antes. Eu não sabia o que ia acontecer - foi muito assustador ", a jovem relata.

No hospital, os médicos disseram que ela tinha taquicardia supra-ventricular, uma frequência cardíaca de mais de 100 batimentos por minuto.

"Eles disseram que era meu coração. Eu disse a eles que não poderia ser - eu era muito jovem, em forma e saudável e nunca tinha tido quaisquer problemas antes. Eles fizeram um teste inicial e me mandaram para casa, mas o problema voltou naquela noite e eu tive que ser encaminhada para um especialista", relembra Charlotte. Quase dois anos após o diagnóstico, ela passou por uma cirurgia de ablação a laser em seu coração para corrigir o batimento cardíaco irregular.

Este é um procedimento onde tubos flexíveis longos, chamados cateteres, são inseridos através de uma veia na virilha e atingem o coração para corrigir qualquer problema estrutural que está causando o batimento cardíaco irregular. Durante a operação, os médicos tiveram que chocar seu coração oito vezes.

Publicidade

Apesar da complexidade, a cirurgia foi bem-sucedida.

Ela agora passa pelo menos 10 horas por semana de voluntariado para vários grupos, incluindo um clube de jovens local, Juventude Genesis. "Muitas  crianças consomem energéticos e eu quero alertá-las", afirma Charlotte. #Curiosidades #Medicina #Alimentação Saudável