Estudo sugere que falar mais de um idioma pode ser fator positivo, evitando até sequelas depois de um acidente vascular cerebral, uma recente pesquisa realizada pela Universidade de Edimburgo, na Escócia, revelou que num universo de 600 pacientes acometidos pelo AVC, cerca  de 40% dos que tinham um certo domínio de outra língua obtiveram melhor recuperação (sem nenhuma sequela mental), em contrapartida outros 20% que falavam apenas uma língua permaneceram sem sequelas mentais depois do Acidente Vascular Cerebral.

Para a equipe de pesquisadores, o desafio mental de praticar outros idiomas pode ser um bom fator para aumentar nossa reserva cognitiva ( habilidade do cérebro de lidar com influências prejudiciais como a demência ou o próprio AVC).

Publicidade
Publicidade

O resultado do estudo financiado pelo Conselho Indiano de Pesquisa Médica, foi divulgado pela publicação científica American Heart Association, levando em consideração a faixa etária dos pacientes participantes do experimento. Atentando para os casos de incidência de diabetes, além de monitorar a pressão arterial e possíveis vícios como o cigarro de todo o grupo.

Papel de Proteção

A habilidade de dominar mais de um idioma concede ao cérebro um "papel de proteção" com esse hábito de estar sempre relacionando palavras, deixando-o de alguma maneira protegido às possíveis disfunções cognitivas posteriormente ao AVC. O estudo aponta que mais do dobro das pessoas analisadas que são bilíngues, apresentaram suas funções cognitivas intactas em relação aos pacientes que falavam  uma única língua.

Para um dos  pesquisadores, Thomas Bak, a capacidade de falar mais de um idioma representada pela alternância de línguas, exige uma ginástica cerebral, além de aprimorar a atenção e a habilidade de memorização, criando assim uma reserva cognitiva estimulando o cérebro e prevenindo contra a demência, explicando que as pessoas acometidas pelo AVC também têm essa influência positiva dessa reserva em sua recuperação após serem novamente expostos a esse exercício de troca de idiomas praticamente constante em seus cérebros, finaliza.

Publicidade

#Curiosidades #Comportamento