A fosfoetanolamina é uma substância que pode ser eficaz na cura do câncer. Um laboratório do Rio Grande do Sul juntamente com o governo do estado, quer testar a pílula o quanto antes para comprovar se realmente esta substância pode combater alguns tipos da doença. 

Acordo de cooperação para testes do remédio contra o câncer

 De acordo com o portal de notícias G1, o Laboratório Farmacêutico - Lafergs, ligado a Fundação de Produção e Pesquisa em Saúde - Feeps, vão desenvolver o trabalho de estudos e análises sobre a medicação em conjunto . Será assinado um termo de cooperação na noite desta quarta-feira (18), entre o Lafergs e o governo do estado do Rio Grande do Sul.

Publicidade
Publicidade

Saibam mais sobre a pílula para combater o câncer

A fosfoetanolamina vem sendo citada como uma substância capaz de combater vários tipos de câncer. Devido a algumas decisões judiciais a fosdoetanolamina só é distribuída pela USP de São Carlos. A substância ainda não passou por testes em humanos e por esse motivo não é considerada como medicamento. É preciso ressaltar que a fosfoetanolamina não tem registro na Anvisa e seus efeitos colaterais em seres humanos, ainda não são conhecidos.

O laboratório gaúcho quer avançar com mais velocidade e concluir as etapas necessárias para desenvolver o medicamento e iniciar os testes. O diretor do laboratório Paulo Mayorca, disse que a substância possui um enorme potencial terapêutico, porém muitas pesquisas ainda precisam ser feitas, afim de comprovar a segurança e eficiência do medicamento.

Publicidade

No caso de uma confirmação positiva, o registro do medicamento vai ser solicitado a Agência Nacional de Vigilância Sanitária - Anvisa. Entretanto Paulo Mayorca afirma que os resultados e liberação do remédio contra o câncer não será de imediato.

Posição do Ministério da Saúde

O Ministério da saúde se posicionou e afirmou que vai criar uma frente de trabalho para realizar pesquisas e estudos sobre a fosfoetanolamina. E que pretende auxiliar na comprovação da eficácia e segurança do medicamento contra o câncer. Ainda não é possível fazer a estimativa de quanto tempo os estudos e as pesquisas vão levar.

Contudo, com a assinatura do acordo de cooperação, com o auxilio do Ministério da Saúde, espera-se que os testes sejam liberados o quanto antes e que a pílula contra o câncer se comprove eficaz. 

 

  #Tratamento #É Manchete! #Organização Mundial de Saúde