A Síndrome da Dependência Tecnológica (SDT) é um termo ainda muito desconhecido, criado em 1995, mas bastante comum no mundo e cujos prejuízos devem trazer sérios danos ao setor de saúde mundial. Uma síndrome é um conjunto de sinais e sintomas que definem as manifestações clínicas de uma ou várias doenças, independentemente da etiologia a que pertencem. A SDT também tem características de TOC (Transtorno Obsessivo Compulsivo), que é caracterizado pelos pensamentos e atos repetitivos e sem controle, manias, que levam a movimentos exagerados ou irracionais (como movimentar os dedos como se tivesse tocando um teclado no ar).

Características do SDT

Do ponto de vista clínico, a SDT é um vício, quando o indivíduo não consegue controlar o próprio uso da tecnologia (seja o celular, internet ou games), ocasionando o seu sofrimento intenso e/ou prejuízo significativo em diversas áreas de sua vida (amorosa, social, econômica, alimentar, entre outros).

Publicidade
Publicidade

Outras características são piora do desempenho no trabalho ou escola, sinais de depressão na ausência do aparelho, alta ansiedade e déficit de atenção. Outros elementos perceptíveis são irritabilidade, insônia, necessidade de ficar conectado e movimentos repetitivos nas mãos e olhos.

A tecnologia pode ter seu lado ruim

O uso de tecnologia sem controle pode ser considerado um fenômeno global, atingindo mais de 5% da população. Se por um lado, vários casais estimulam o uso de games como verdadeiras babás de seus infantes, por outro lado, o uso deve ter o tempo controlado, assim como criadas alternativas de esporte outdoor e outros #Jogos presenciais que permitam manter um equilíbrio no uso da tecnologia. A indicação de terapia é recomendada se a presença de pelo menos três das características acima for observada, particularmente a insônia.

Publicidade

Recomendações para o tratamento

Por ser considerada uma adicção, já existem alguns grupos se especializando em “desintoxicação” do SDT, para evitar maiores danos mentais e físicas, principalmente em adolescentes que não reconhecem em si próprios o fenômeno e encontram no seu meio social o ambiente propício para se viciar em tecnologia. A modalidade comportamental de terapia tem demonstrado um grande índice de recuperação pela manipulação das contingências, entre elas: o controle modelado do uso de tecnologia, modificação de contingências ambientais e estabelecimento de novos reforçadores. Por isso, se você reconhece alguém com sinais de SDT, encaminhe-o a um psicólogo. #Comportamento #Organização Mundial de Saúde