Durante décadas os astrônomos procuram por evidências reais sobre existência do Planeta X. Especula-se que o planeta possa estar a espreita pela galáxia e sua influência gravitacional e já teria causado graves problemas em órbitas de outros planetas da Via Láctea.

Em 1846, quando astrônomos da época procuravam pelo tal planeta encontraram Netuno, ao ir além de Netuno encontraram Urano em 1930. Anos mais tarde foi a vez de Plutão ser descoberto, desde então a busca pelo Planeta X, vem sendo bem sucedida. Nos últimos anos os astrônomos já descobriram tantos planetas que tornou-se viável baixar Plutão para planetoide. Ao invés de inchar o nosso sistema solar de planetas.

Publicidade
Publicidade

No dia 08 de dezembro os astrônomos suecos em parceria com pesquisadores mexicanos apresentaram uma série de documentos divulgados pela revista Astronomy & Astrophysics, na íntegra da possível descoberta de um dos candidatos á Planeta X. O astrônomo Wouter Vlemmings da Universidade de Tecnologia de Chalmers, afirma. '' Às vezes prefiro apenas fazer um upload dos trabalhos aceitos. Mas desta vez as ideias estão se esgotando. Através do upload dos arquivos nós desejávamos encontrar alguém que pudesse nos informar se havíamos esquecido de alguma coisa ou não. O que nós não contávamos era com o impacto que o assunto causou fora da comunidade astronômica''. 

Um dos possíveis candidatos a Planeta X é apelidado pelos astrônomos de GNA ( Deusa Mensageira Nórdica). Segundo Vlemmings, este planeta foi descoberto em órbita ao lado da estrela W Aquilae, enquanto o outro planeta ainda inominado foi descoberto em órbita ao lado do nosso sistema estrelar próximo a Alpha Centauri.

Publicidade

De acordo com os astrônomos os astros foram detectados pelo Atacama Large Millimeter, um grupo enorme de pratos de rádio, localizados em um ponto alto no deserto dos Andes no Chile. ''Foi possível observar corpos tênues com um brilho muito distante. Em pares de fotografias separadas durante o período de seis meses, ambos objetos podiam mover-se contra as estrelas de fundo aquelas ''fixas''. O que dá um ideia da proximidade destes corpos celestes com o nosso sistema solar''.

Segundo Scott Sheppard, cientista planetário do Instituto Carnegie. De fato as pesquisas são bastante interessantes mas precisam ser analisadas com cautela. Ao que tudo indica a possibilidade destes corpos celestes estarem em nosso sistema solar é bem real. Embora isto exigiria uma terceira detecção a qual mostrará o movimento claro e linear dos corpos celestes em uma velocidade constante.

Mas as pesquisas realizados pela NASA tratam de colocar limites sobre a existência do planeta. Com a ajuda do Telescópio Espacial Wide-field Infrared Survey Explorer, os astrônomos da Agência Espacial Americana, não encontraram nenhuma evidência de tal planeta orbitando nosso sistema solar.

Publicidade

''Um astro pequeno e escuro como um planetoide ainda poderia estar escondida lá fora. Mas para encontrá-lo com o telescópio ALMA é praticamente impossível'' diz o astrônomo Brown. '' A teoria que possa haver um  planeta gigante escondido no nosso sistema solar está praticamente descartada. Em breve os poucos membros da comunidade astronômica perceberam que a existência de Nibiru não passa de um conto de fábulas'', conclui. #Entretenimento #Curiosidades