Juliana Mantovani, uma estudante de engenharia ambiental que costumava pesar 103 quilos, conseguiu em apenas oito meses alcançar o peso de 73kg. Ao contrário do que se imagina, para atingir essa meta a estudante não precisou cortar nenhum alimento que costumava comer, ela apenas passou a comer menores porções.

A estudante afirma que continua comendo de tudo mas que eliminou sim um único elemento que fazia parte de sua rotina: a cerveja.

O problema começou com a sua primeira gestação aos 23 anos e depois com a segunda, aos 26. Nessa época foi muito difícil manter o peso, mas a situação chegou a um nível de descontrole quando a paranaense entrou para faculdade.

Publicidade
Publicidade

Estudando pelo horário da noite ela não conseguia fazer refeições adequadamente. O seu erro consistia em fazer apenas duas refeições ao dia, no entanto eram duas refeições muito grandes. Quando chegava em casa, por exemplo, a estudante comia lanches e ia dormir. Ela afirma que sabia estar obesa embora não conseguisse enxergar dessa forma.

Foi apenas quando sofreu uma forte dor de estômago que a impediu de comer apropriadamente e fez com que ela perdesse 10 quilos por causa da situação, que a paranaense começou a levar em consideração o sinal de alerta. Ela precisava mudar os seus hábitos.

Reeducação alimentar

Começou então adotar costumes saudáveis: passou a comer de 3 em 3 horas e reduziu a princípio em metade a quantidade de comida que costumava ingerir. Por comer poucas vezes durante o dia ela acabava comendo muito mais do que precisava.

Publicidade

Hoje aceitou que a melhor forma de manter o peso é comendo a cada 3 horas; dessa maneira ela não está morrendo de fome toda vez que se sentar à mesa.

Outro hábito que também incluiu na sua vida de fazer caminhadas de uma hora. Antes disso ela conta que era completamente sedentária. Atualmente ela se sente muito mais energizada com 30 quilos a menos.

A estudante disse que acha engraçado quando pessoas que a conheciam perguntam se ela fez algum tipo de cirurgia ou se está tomando remédios. Ela acha curioso ter percebido que as pessoas geralmente não acreditam que tal efeito é possível por meio de uma alimentação regrada e exercícios físicos. #Dieta #Organização Mundial de Saúde #Alimentação Saudável