A doença de Alzheimer é a principal causa de demência no mundo e, embora possua tratamento específico,  ela é incurável. Alzheimer cursa com deterioração de memória e de outras funções cognitivas que causam progressiva debilidade funcional, culminando com total dependência para atividades diárias. 

Alzheimer é uma doença de causas complexas. São múltiplos os fatores contribuem para que uma pessoa seja acometida.  Alguns não podem ser modificados (envelhecimento e fatores genéticos, por exemplo), mas outros podem ser trabalhados para diminuir os riscos de desenvolver esta grave doença. Recomendações de organizações especializadas ("Alzheimer’s Research & Prevention Foundation", por exemplo) estabelecem seis pilares para prevenção da doença de Alzheimer: atividade física regular, dieta saudável, sono de boa qualidade, mente ativa, manejo do stress e vida social ativa.   

Atividade física regular

A prática de atividade física regular pode diminuir pela metade o risco de desenvolver Alzheimer. Recomenda-se cerca de 150 minutos semanais de atividade física.

Publicidade
Publicidade

O melhor benefício é atingido aliando atividades aeróbicas e treino de força muscular. 

Para quem é sedentário, iniciar atividade física pode ser intimidador, mas você não precisa se inscrever em academias ou contratar um treinador pessoal. Use maneiras de adicionar movimento ao seu cotidiano, vá de escadas, desça um ponto antes do seu destino, carregue suas compras...

Dieta saudável

Os hábitos alimentares que reduzem inflamação e promovem produção normal de energia contribuem para um cérebro mais saudável.

Diversos estudos mostram que dieta mediterrânea reduz o risco de Alzheimer. Significando uma dieta rica em legumes, cereais integrais, azeite de oliva e peixes, e consumo reduzido de carne vermelha. Consumir omega-3 e chá verde parece diminuir o risco, enquanto que gorduras trans e saturadas aumentam o risco.

Publicidade

Os níveis de insulina e glicose em nosso organismo devem ser mantidos estáveis: faça várias refeições ao longo do dia, porém em pequena quantidade; Evite alimentos processados, especialmente os ricos em carboidratos, como açúcar e farinha branca, pois aumentam rapidamente os níveis de glicose, contribuindo para alterações inflamatórias.

Atividades mentais

Manter o cérebro ativo, executando atividades que utilizam múltiplas tarefas ou requerem interação e organização, diminui o risco de  Alzheimer.

Sugere-se: aprender algo novo, como um idioma ou tocar um instrumento musical; praticar memorização; resolver jogos de lógica e estratégia; seguir rotas diferentes para destinos habituais.

Sono adequado

Estudos recentes sugerem que sono irregular é fator de risco para desenvolver Alzheimer.

Hábitos que melhoram a qualidade do sono são encorajados: estabelecer um ritmo de sono-vigília regular (ou seja, procurar ir dormir sempre no mesmo horário e acordar sempre no mesmo horário); atente para a soneca ao longo do dia (se você tem insônia, evite; se você precisar de uma soneca para sentir-se disposto, evite tirar no final da tarde); o quarto é para dormir (tire TV e outros aparelhos do quarto); crie um ritual relaxante para ir deitar; se perder o sono, saia do quarto, relaxe em outro ambiente, quando voltar a sentir sono, volte para a cama.

Publicidade

Manejo do stress 

Stress grave e crônico pode causar redução de volume do hipocampo, estrutura cerebral chave para o funcionamento da memória.

Algumas medidas já se mostraram eficazes para combater o stress: respiração abdominal por alguns minutos, diariamente; atividades diárias relaxantes e prazerosas; meditação e práticas religiosas. 

Vida social ativa

Os seres humanos são criaturas altamente sociais. Nós não prosperamos em isolamento, nem nossos cérebros. Pesquisas mostram que permanecer socialmente engajado pode proteger contra a doença de Alzheimer, por isso tente desenvolver e manter uma forte rede de amigos, interação pessoal, cara a cara parece ser melhor que interação virtual, à distância.  #Medicina