A existência do apelidado “Planeta X” vem sendo tema de debates e especulações por muito tempo, e os pesquisadores Mike Brown e Konstantin Batygin, do Caltech (California Institute of Technology) em Pasadena, nos Estados Unidos, alegam ter encontrado, de fato, evidências sólidas de que existe um 9º planeta orbitando no Sistema Solar, situado além de Plutão. O corpo celeste está tão distante, que levaria aproximadamente 15 mil anos para dar uma única volta em torno do Sol.

Os astrônomos relataram na revista Astronomical Journal que sua descoberta foi baseada em cálculos matemáticos e análise de software. Isso porque o planeta está tão distante que, até o momento, não foi possível visualizá-lo através de telescópios.

Publicidade
Publicidade

Segundo os cientistas, o 9º planeta tem quase o mesmo tamanho de Netuno, e teria se afastado do Sol ainda durante a “infância” do Sistema Solar, realizando, atualmente, uma órbita elíptica distante.

A possível descoberta

Brown e Batygin encontraram as evidências do provável novo planeta analisando o comportamento de 6 objetos naturais, já conhecidos, que orbitam o Sol além de Netuno. Segundo os astrônomos, só seria possível explicar os movimentos elípticos e estranhos destes objetos se eles estivessem sofrendo influência gravitacional de um corpo celeste grande, com uma massa equivalente a de 10 Terras.

De acordo com os cálculos que levaram a esta constatação, existe uma chance de apenas 0,007%, ou cerca de uma chance em 15.000, de que a formação e movimentação do agrupamento de corpos celestes possa ser somente uma coincidência.

Publicidade

Brown está confiante em sua descoberta, mas sabe que só se tornará fato verificado quando o planeta for finalmente visualizado. “Até que haja uma detecção direta, é uma hipótese – ainda que seja uma hipótese muito boa”, declarou o cientista.

Ironia do destino

Chega a ser uma ironia do destino Mike Brown estar defendendo a descoberta de um 9º planeta no Sistema Solar, pois ele foi o responsável por rebaixar Plutão, da categoria de planeta, para “planeta anão”, recebendo, inclusive, o apelido de "assassino de planetas".

Em 2005, o astrônomo descobriu Eris, um pequeno mundo gelado, quase do mesmo tamanho de Plutão. Depois disso, a União Astronômica Internacional resolveu realocar o 9º mundo do Sistema Solar em uma nova subdivisão, junto com o novo pequeno planeta descoberto. Brown até escreveu um livro sobre o assunto, intitulado “How I killed Pluto” (Como eu matei Plutão). #Curiosidades #EUA