Dor de barriga. Diarréia. Náusea. Vômito. Quando você vai ao #Hospital com alguns ou todos esses sintomas, o médico certamente dirá que você pegou alguma virose, principalmente nesta época em que as infecções por esses vírus desconhecidos estão assolando o país e lotando as emergências hospitalares.

Porém, um pai britânico descobriu que o inimigo pode estar mais próximo do que você imagina. E bem na sua cara. Craig Beresford publicou em seu Facebook no dia 10 de fevereiro uma foto de uma garrafa de água reutilizável, daquelas que se usa pra levar pra escola ou pra ir a academia, que é só chegar em casa, encher de água e reutilizar.

Publicidade
Publicidade

Ele não imaginava que essa garrafa poderia causar tantos problemas a sua filha de sete anos.

Segundo o Daily Mail, a garotinha da cidade inglesa de Stalybridge, na Great Manchester, sofria de uma forte dor no estômago há quatro semanas, até que o pai fez uma grande e surpreendente descoberta - a garrafa era responsável pelo problema de saúde da menina.

"A minha filha tinha vindo para casa da escola e todos os dias reclamava de dor de estômago. Eu observei sua garrafa e me perguntei se era ela que a fazia ficar doente", contou Craig. "Descobri uma sujeira preta dentro, mesmo tendo diariamente um meticuloso trabalho de limpeza da garrafa esterilizando com água fervente", relatou.

Segundo o pai, a filha melhorou após ele ter jogado a garrafa fora. Tudo indica que a sujeira preta que Craig encontrou na garrafa eram bactérias se acumulando, mesmo esterilizando com água quente.

Publicidade

Isso pode acontecer em garrafas com fissuras ou relevos em sua superfícies que podem acumular lodo, fungos ou bactérias nesses espaços, que dependendo do comprimento da garrafa, podem ser mais difíceis de serem lavadas.

Para evitar esse problema, recomenda-se que o material seja lavado com água e sabão. Se observado que algumas partes da garrafa sejam de difícil acesso, pode-se utilizar uma escovinha. Deixar um tempo de molho numa solução de água sanitária também é eficiente para destruir alguns micro-organismos causadores dos mesmos sintomas incômodos que a pequena filha do britânico Craig Beresford sentiu. #Doença #sistema de saúde