O Brasil é um país de temperaturas naturalmente quentes em quase todas as estações do ano. O índice geral de umidade é elevado comparado a de outros países e considerando ainda a densidade demográfica alta associada à infraestrutura precária, temos o destino dos sonhos para os mosquitos Aedes Aegypti.

Se temperaturas quentes e úmidas, grandes concentrações populacionais e infraestrutura precária com esgotos e lixos a céu aberto são o cenário perfeito para os mosquitos transmissores da #Dengue e do #Zika Vírus, algumas atitudes da população também podem ajudar a piorar como teme a Presidente Dilma.

Como ainda não existe uma solução rápida e definitiva, a maneira mais inteligente é usar os números e o conhecimento sobre o mosquito a seu favor e diminuir consideravelmente as chances de ser picado.

Publicidade
Publicidade

Conheça o inimigo Aedes Aegypti

  • É o mosquito transmissor do Zika Vírus, Dengue e Chikungunya, mas somente as fêmeas se alimentam de sangue humano para procriarem e por isso somente elas podem transmitir doenças.
  • São mosquitos que não conseguem voar alto e possuem principalmente hábitos alimentares diurnos.
  • Os mosquitos são atraídos principalmente por odores do ácido láctico, liberado no suor humano e dióxido de carbono CO2, liberado na respiração.
  • “Enxergam” melhor em ambientes menos coloridos, como nos quartos escuros à noite.
  • Sua área de atuação é quase sempre restrita à área em que seus ovos foram eclodidos.

Usando esse conhecimento a seu favor além de não deixar água parada para a reprodução do inseto, é possível também tornar-se menos atraente para as picadas.

Maneiras de afastar o mosquito transmissor do Zika Vírus

  • Evite atividades físicas e passeios ao ar livre no início da manhã e no final da tarde, períodos em que eles estão mais ativos para as picadas.
  • Use roupas que cubram a maior parte do corpo ou pelo menos os pés e pernas, já que eles não voam muito alto (Outros mosquitos e pernilongos conseguem voar mais alto e até pousarem no teto, mas não é o caso do Aedes Aegypti).
  • Prefira roupas de cores claras que refletem o calor, assim a produção de suor será menor e consequentemente menos ácido láctico será liberado.
  • Deixe o quarto à meia luz para iluminar suavemente o ambiente.

Os repelentes mais comuns usam princípios ativos que modificam o odor do nosso corpo, inibindo o cheiro do ácido láctico e do dióxido de carbono.

Publicidade

As grávidas que querem usar repelente para afastar o risco de complicações na formação do feto pelo Zika Vírus, devem optar por um repelente específico para elas. O protetor elétrico e a citronela também podem ajudar muito.

Usando todas essas estratégias comprovadas por estatísticas você não estará eliminando por completo o risco de ser picado e contrair o Zika Vírus, mas certamente estará diminuindo muito as possibilidades disso acontecer. #Organização Mundial de Saúde