Durante a gravidez, as gestantes passam os nove meses de gestação preparando para a chegada do bebê, mas na hora de escolher a forma de parto, vem a preocupação, a tão falada "dor do parto". O médico que a acompanha deve informá-la as vantagens e riscos de cada tipo de parto. A escolha da forma de parto não isenta a mãe e/ou o bebê de uma possível complicação. 

Tipos de partos

Normal - O parto normal, é o nascimento por via vaginal, é feito em âmbito hospitalar, com intervenções de medicamentos para indução e pode ocorrer a  episiotomia (incisão efetuada na região do períneo), afim de melhorar o trajeto da saída do bebê, #Família não poderá está presente e ainda pode ter ajuda manualmente para a expulsão do bebê.

Publicidade
Publicidade

Natural humanizado - Parto realizado com acompanhamento de obstetra e enfermeira, sem intervenções cirúrgicas ou de medicamentos para acelerar o processo, as intervenções nesse tipo de parto somente acontecerão em casos de emergência. Não tem uma posição determinada, é realizado da maneira que a mulher se sentir melhor, mas deve estar ciente que tem que ser ativa, para acelerar o processo do parto. O ambiente deve ser tranquilo, pouca luz, música suave e a gestante pode receber massagem para relaxar.

A mulher poderá caminhar, tomar banho de chuveiro ou de banheira, para diminuir as dores e a família deve estar presente e participar do parto. Dentro de todos estes benefícios, a recuperação é mais rápida e a mãe terá mais disposição para cuidar do seu bebê.

Cesária - É o parto com intervenção cirúrgica, realizado em casos de emergência e eletiva.

Publicidade

O pós operatório é doloroso e a recuperação é mais demorada. 

Cócoras -A posição de cócoras é adequada para dar à luz, mas a mulher terá que ter um bom preparo físico, pois exige força. Não são todos os hospitais que usa essa forma de parto, devido à falta da cadeira apropriada.

Na água - Parto na água é considerado um dos partos mais bonitos, a respiração do bebê é feita pelas trocas sanguíneas que se dá pelo cordão umbilical. No momento em que o bebê sai da água, respira pela primeira vez, os pulmões inflam e recebem o ar ambiente, mas neste tipo de parto, tem o risco de aspirar líquidos para as vias aéreas.

A escolha pelo parto normal e o parto natural humanizado, é mais frequente entre as gestantes. Ha alguns anos, fazer uma cesariana era muito normal, a paciente completava as 40 semanas de gestação, era internada para a realização do procedimento cirúrgico, um parto sem dor, a recuperação após o parto é mais demorada e impossibilita a mãe de cuidar do seu bebê. Pesquisas apontam que 80% das cesarianas são realizadas em hospitais particulares, as cesarianas em hospitais públicos é de 35%.  #Curiosidades