Há mais de um século o cientista Albert Einstein desenvolveu a Teoria da Relatividade Geral na qual afirmou que a gravidade seria uma força que causa deformações que se movem no tecido espaço-tempo pela massa e que com interações gravitacionais mais fortes essas distorções poderiam minúsculas ondulações, constituindo assim uma das variáveis mais importantes da Teoria.

O diretor do Observatório de Ondas Gravitacionais por Interferômero Laser (LIGO) informou em uma entrevista coletiva em Washington nesta manhã de quinta-feira(11) que “sondas gravitacionais foram produzidas por dois buracos negros em colisão, se aproximaram, se fundiram e formaram um único buraco negro cerca de 1,3 bilhão de anos atrás”, conforme noticiou o Portal de Notícias Sputnick.

Publicidade
Publicidade

Colocando um fim nos inúmeros rumores que aconteciam na comunidade científica há vários meses a cerca da possível descoberta das ondas pela NASA.

Foi necessário uma tecnologia avançadíssima para detectar as ondas. O equipamento utilizado foi formado por dois detectores enormes de cerca de quatro quilômetros de extensão, com eixos selados a vácuo, que ficaram localizados um no Estado da Louisiana e outro em Washington, capazes de detectar as alterações mais sutis. As ondas foram detectadas, exatamente, às 9h51 (no horário de Brasília) no dia 14 de setembro de 2015, abrindo novos caminhos para pesquisas sobre o universo, seu surgimento e sobre o espaço-tempo.

Viagem no tempo?

Muitas teorias e idéias foram desenvolvidas mas sem sucesso no intuito de realizar viagens no tempo, descobrir universos paralelos ou mesmo entender o início de tudo, comprovar a Teoria do Big Bang.

Publicidade

Nos aproximamos da tão falada viagem no tempo? Da descoberta de vida terrestre em outros universos? Será que com base nesta descoberta poderemos fazer as viagens de Marty Mcfly? Essas e muitas outras perguntas se reacendem com o descobrimento das ondas gravitacionais. Já considerada uma das descobertas mais importantes do século e digna de um prêmio Nobel, afirmaram especialistas da área. #Comunicação #Curiosidades