Não aguentou de curiosidade? Então, chega de suspense: esta é a pitaia (foto) - também conhecida como "Fruta do Dragão" (a forma estranha, de certa maneira, empresta uma aparência chamuscada ao alimento). Sim, é uma fruta, exótica, nativa da América Central, mas que também é cultivada e exportada a partir de países do Sudeste Asiático, como Tailândia e Vietnã. Muitos especialistas, médicos e pesquisadores estão se referindo a ela como um novo "superalimento", atestando inúmeros benefícios à saúde. Chefs e especialistas em alimentos estão falando maravilhas de seu sabor refrescante, que "faz a gente se sentir como se estivesse na beira do mar".

Publicidade
Publicidade

Cresce em cactos cujas hastes suculentas fornecem umidade às pitaias nos climas áridos onde cresce. As frutas do dragão têm casca vermelha ou amarela (que lembra um abacaxi bizarro) e poupa branca (que remete a um sorvetinho de flocos) ou vermelha, ambas com sementes comestíveis. O sabor levemente doce é como uma mistura de kiwi e pera, com uma textura crocante. Estudos indicam que comer Pitaia ajuda a manter a pele firme e jovem. Você pode até mesmo fazer uma máscara facial usando a fruta, combinada com mel, numa alternativa natural para máscaras anti-envelhecimento.

Os chineses têm usado a fruta do dragão por centenas de anos como uma ajuda natural para facilitar a digestão e diminuição do colesterol. Algumas pesquisas têm indicado que ela ajuda a prevenir certos tipos de câncer e diabetes.

Publicidade

Ricas em antioxidantes, as pitaias contêm vitamina C e várias vitaminas do complexo B que ajudam a metabolizar carboidratos, bem como carotenos e proteínas. O cálcio também está presente, sendo bom para manter ossos e dentes fortes.  Ainda contém ferro e fósforo, o que é bom para o sangue. Aliás, as sementes são ricas em gorduras poliinsaturadas (ácidos omega-3 e omega-6) que reduzem os triglicérides e diminuem o risco de doenças cardiovasculares.

Sim, os cientistas afirmam que comer a pitaia faz bem pro coração e ainda livra o corpo de metais pesados ​​tóxicos, além de melhorar a acuidade visual. O licopeno, responsável pela sua cor vermelha, é considerado agente importante na diminuição do risco do câncer de próstata. É melhor consumi-la fria, cortada em cubinhos, podendo ainda ser adicionada a saladas de frutas ou mesmo misturada a uma bebida refrescante. Parece boa demais pra ser de verdade, mas cuidado - a pitaia deve ser apreciada com moderação. Afinal contém frutose, que pode ser prejudicial para a saúde em quantidades excessivas. #Alimentação Saudável