O laboratório francês Sanofi divulgou em nota nesta terça-feira (2), que pretende estudar uma vacina capaz de combater o vírus que chegou a levar Organização Mundial de Saúde (OMS) a decretar situação de emergência da saúde pública mundial. O grupo Sanofi Pasteur que detêm o direito para a produção de vacinas na indústria farmacêutica da França, afirma que deseja contribuir com êxito para o desenvolvimento de vacinas capazes de combater o #Zika Vírus, assim como os demais vírus transmitidos pelo aedes aegypti, como a #Dengue e a febre chikungunya.

No Brasil, as autoridades recomendam para que as mulheres grávidas evitem viajar para assistirem os jogos Olímpicos no Rio de Janeiro, a OMS estima que de três a quatro milhões de pessoas sejam infectadas pela #Doença em 2016.

Publicidade
Publicidade

Até o prezado momento não existe nenhuma vacina capaz de combater o zika vírus, atualmente a doença está associada a síndrome neurológica de Guillain-Barré, uma doença rara que pode provocar a paralisia infantil.

Identificado pela primeira vez em abril de 2015, o zika causou intensa mobilização das autoridades ligadas a área de saúde em todo pais. No começo a doença costumava ocorrer de forma benigna, com sintomas de febre baixa, dores musculares e de cabeça, além de coceiras pelo corpo. Porém o vírus tornou-se muito prejudicial principalmente para as mulheres grávidas, o Ministério de Saúde já confirmou que os casos de microcefalia estão associados ao vírus. No geral em pessoas como homens, crianças e idosos as complicações causadas pelo zika, são muito menos graves do que a dengue. As autoridades de saúde ainda estão em dúvida e não sabem explicar como o vírus age no organismo da mulher e quais as principais causas que levam à microcefalia.

Publicidade

O Ministério da Saúde adverte algumas medidas para que as mulheres grávidas, ou com possibilidade de engravidar, devam tomar levando em consideração que os casos de microcefalia estão relacionados ao zika vírus. Uma das principais medidas a serem tomadas é proteger-se contra picadas de insetos, usar roupas que protejam a maior parte do corpo, usar repelentes e permanecer em locais seguros com barreiras para entrada de insetos nas janelas, como telas de proteção ou mosquiteiros. Também é importante notificar o seu médico sobre qualquer mal estar no seu estado de saúde, principalmente no período até o quarto mês de gestação. O acompanhamento pré-natal também é essencial e também pode diminuir o risco de microcefalia.