Em um recente relatório da Organização Mundial da Saúde, publicado no último sábado (13), 34 países confirmaram transmissões locais do vírus Zika, aos quais 27 deles localizam-se na América Latina e no Caribe. Nos EUA, os casos relatados foram apenas “importados”, ou seja, a contaminação deu-se em viagens internacionais, e não dentro do território americano, apesar da OMS estar investigando a suspeita de um caso de transmissão local através de relações sexuais.

Além das Américas, casos de contaminação pelo vírus Zika foram relatados em ilhas nos oceanos Pacífico, Índico e Atlântico. Os casos nos arquipélagos são registrados desde 2007, porém, segundo os governos locais, o surto da doença foi contido.

Publicidade
Publicidade

Na Ásia, os casos confirmados de transmissão importada e local foram registrados na Tailândia, enquanto que suspeitas de contaminação foram relatados na Malásia, Filipinas, Fiji e Gabão. Na Europa, foram registrados 10 casos de contaminação importada.

Diante deste quadro, é preciso tomar certas precauções para evitar o aumento da disseminação da doença. A seguir, algumas informações sobre a doença, tratamento e #Dicas preventivas:

Transmissão e sintomas

Segundo a Organização Mundial da Saúde, o vírus Zika é principalmente transmitido através da picada do mosquito Aedes aegypti, o mesmo transmissor do vírus da dengue, chikungunya e da febre amarela. O período de incubação da doença pode durar alguns dias até surgir os sintomas, que são semelhantes aos sintomas da dengue: febre, erupções, conjuntivite, dor nos músculos e nas articulações, mal-estar e dor de cabeça.

Publicidade

Sobre os recentes casos de microcefalia em bebês paralelos ao aumento dos casos de Zika em mulheres grávidas, o OMS recomenda cautela e mais investigação para compreender se existe de fato uma relação: “É necessário fazer mais investigação antes de compreendermos a relação entre a microcefalia em bebês e o vírus Zika. Outras potenciais causas estão igualmente a ser investigadas”.

Prevenção contra o Zika

A prevenção contra o vírus Zika assemelha-se às medidas preventivas contra o vírus da dengue, ambas as doenças são transmitidas pelo mesmo mosquito. Aqui estão algumas dicas para a prevenção contra a Zika:

  • Uso de repelentes;
  • Vestuário adequado, de preferência de cor clara, que possa cobrir o corpo tanto quanto possível;
  • Uso de redes e mosquiteiros;
  • Uso da pulverização de inseticidas e de larvicidas em grandes recipientes de água;
  • Recipientes que possam conter água, como baldes e vasos, sempre mantidos limpos, esvaziados e cobertos.

Tratamento

“A doença do vírus Zika é, normalmente, relativamente ligeira (dois a sete dias) e não requer um tratamento específico. As pessoas com o vírus Zika devem repousar bastante, beber muitos líquidos e tratar as dores e a febre com medicamentos comuns. Se os sintomas piorarem, devem procurar aconselhamento e cuidados médicos”, recomenda a OMS. #Organização Mundial de Saúde #Zika Vírus