Em meio a uma crise mundial de saúde gerada pelo #Zika Vírus e decretada oficialmente pela OMS (Organização Mundial da Saúde), a Índia conseguiu sair na frente desenvolvendo não uma, mas duas vacinas contra o Zika vírus que provoca a microcefalia, má-formação cerebral, em bebês. 

A vacina é resultado de nove meses de estudo. O doutor Krishana Ella, presidente e diretor do laboratório [Bharat Biotech Ltd] que fabricou a vacina, acredita que a sua instituição é a primeira no mundo a patentear uma vacina contra o vírus. Segundo o laboratório, a próxima fase é testá-la em animais e humanos.

Para criar as duas vacinas, o laboratório utilizou dois Zika vírus vivos.

Publicidade
Publicidade

O doutor Ella disse que procurou ajuda do governo e do Conselho Indiano de Pesquisas Médicas (ICMR). Declarou ainda que, caso a vacina seja eficiente contra a doença e no melhor cenário, sua empresa poderá fazer um milhão de doses da vacina em quatro meses.

O representante do ICMR, Dr. Soumya Swaminathan, disse ter sido informado sobre a vacina desenvolvida pelo laboratório, e que depois de ser avaliada de um ponto de vista científico, poderá ser levada à frente.

Ella informou ainda que tem buscado a intervenção do primeiro-ministro Narendra Modi para garantir o desenvolvimento rápido da vacina, visando ajudar países como o Brasil, também membro dos BRICS como a Índia, e assim abrir caminho para a “diplomacia da vacina”, beneficiando a todos com saúde a pública.

Ele apelou ao primeiro-ministro para que faça parte do projeto, uma vez se trata de ajudar países como Brasil e Colômbia, vítimas do vírus.

Publicidade

A ONU orienta

Na última quinta-feira (04), a Organização das Nações Unidas (#ONU) orientou as pessoas a não receber doações de sangue de pessoas dos países afetados pelo surto. Esta sexta-feira (05),  a porta-voz do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos, Cecile Pouilly, defendeu o aborto e criticou os países que pediram às mulheres para não engravidarem, dizendo ser uma contradição o pedido; o motivo é que estes mesmos países não oferecem a pílula do dia seguinte.

A Fiocruz alerta

A Fiocruz divulgou hoje que encontrou um vírus ativo na urina e na saliva. Ainda não ficou comprovado se há risco de infecção por meio de urina ou saliva. #Dengue