Segundo o jornal colombiano El Pais, a Secretaria de Saúde de Cauca analisa um possível caso de microcefalia (mal formação cerebral do feto) ligado ao #Zika Vírus. O caso teria ocorrido na cidade de Popayán, e foi noticiado pelo veículo na última quarta-feira (24). Se confirmado, será o primeiro caso colombiano de microcefalia causado pelo vírus.

O Vírus

O caso colombiano é apenas o mais recente no já grande histórico do vírus.

Já sabemos que o vírus não é realmente novo, aparecendo em Uganda desde finais da década de 1940. Contudo, até então, o vírus atingia sobretudo animais, com casos de humanos infectados aparecendo no começo da década de 1950, na Nigéria.

Publicidade
Publicidade

Já o primeiro grande surto do vírus só viria a ocorrer em 2007, na Micronésia. Finalmente, outro grande surto ocorre em 2013, agora na Polinésia Francesa.

Como exatamente o vírus chegou às Américas parece ainda não estar claro (o que não é exatamente estranho: mesmo hoje ainda não sabemos como o vírus chegou à Micronésia ou Polinésia Francesa, por exemplo), mas sabemos que em 2015 começam a ser divulgados os primeiros casos brasileiros de infecção pelo vírus. Como seu agente transmissor, o Aedes aegypti, habita em praticamente todo o continente americano, atualmente o vírus já está bastante difundido nas Américas.

Transmissão, precauções e sintomas

Sabemos que o vírus é transmitido pelo mosquito Aedes aegypti através de sua picada. Justamente por isso, os métodos de prevenção mais comuns são os mesmos usados contra outras doenças transmitidas pelo mosquito, e incluem fatores como o uso de repelentes e não deixar água parada nas proximidades.

Publicidade

A Organização Mundial da Saúde alerta em seu site, ainda, que o vírus também pode ser transmitido sexualmente, ainda que os casos confirmados sejam poucos. Finalmente, o vírus também se mostra transmissivo da gestante para o bebê, havendo fortes evidências de que ele seja a causa de recentes casos de microcefalia e da síndrome Guillain-Barré.

Inicialmente, quando primeiro apareceu, o vírus parecia ser uma #Doença similar, porém um pouco mais branda que outras transmitidas pelo Aedes, a exemplo da Dengue. Segundo o Ministério da Saúde, os sintomas incluem: febre, coceira, dor de cabeça, dor atrás dos olhos, dor no corpo e nas juntas e manchas vermelhas pelo corpo, e aqueles que apresentarem estes sintomas certamente deveriam procurar ajuda médica especializada. É importante apontar, porém, que a vasta maioria dos infectados não apresentarão qualquer sintoma.

Teorias da Conspiração

O medo aliado à falta de informação já se provou capaz de gerar toda sorte de boatos. Com o Zika vírus não foi diferente, com algumas “teorias” da conspiração surgindo ao redor do globo.

Publicidade

Aqui no Brasil, uma teoria que foi divulgada em finais de janeiro e começo de fevereiro deste ano, e que possivelmente teve origem nos Estados Unidos, argumenta que o vírus teria sido criado pela fundação Rockffeler. O boato, porém, não passa de um grande mal entendido: a fundação é uma das entidades responsáveis por isolar e vender o vírus para fins de pesquisa e desenvolvimento (de vacinas, por exemplo), e de forma alguma o criou.

Vacina

Na última segunda-feira (22) foi feito um pronunciamento pela presidente Dilma Rousseff, em São Paulo, no qual a mesma exalta a criação de uma vacina contra a Dengue, desenvolvida pelo Instituto Butatã, e que avança agora para o estágio de testes em humanos. Espera-se que com isso se abra também a possibilidade de criação de uma vacina para o Zika vírus. #Curiosidades