Vanessa Giácomo, Letícia Spiller, Fernanda Paes Leme, Aline Moraes, Mick Jagger, Patrícia Abravanel, Carolina Dieckman, Luana Piovani, Giovana Antonelli...a lista é longa! Mas o que eles têm em comum além da fama? Praticam ballet clássico como atividade física. 

Os benefícios dessa modalidade são inúmeros: emagrece, tonifica e define toda a musculatura corporal, trabalha a coordenação motora, flexibilidade, orientação espacial e equilíbrio. E não param por aí. Além de toda questão estética, ela ajuda em questões como memorização, autoestima e sensação de bem estar geral.

Ballet é uma arte e o ser humano, desde tempos mais remotos, recorreu a #Arte como forma de expressar emoções. Trabalhar corpo e mente torna então a dança uma atividade completa.

Publicidade
Publicidade

E a boa notícia é que não é preciso ter praticado na infância. É possível começar em qualquer idade. 

Obviamente cada pessoa tem seu motivo particular quando opta por esse estilo; algumas porque, quando crianças, não tiveram oportunidade e, outras, porque encontraram nos grupos adultos uma forma de continuar dançando já que não se sentiam a vontade em turmas infantis ou juvenis.

Foi pensando em questões como essas que a professora de ballet Regina Gularte, com quarenta anos de profissão, criou o projeto Ballet para Adultos na cidade de Bagé no interior do Rio Grande do Sul. O grupo, que existe há tês anos, é um sucesso e conta com a participação de ex-alunas, ex-colegas e alunos que estão dançando ballet pela primeira vez: "Percebia que muitas pessoas tinham vontade de experimentar o ballet clássico mas achavam que era tarde demais para isso; outras já tinham praticado ballet, algumas delas bailarinas formadas inclusive, que queriam seguir dançando mas não encontravam aulas para dar continuidade a prática.

Publicidade

Foi daí que surgiu a ideia de criar uma turma voltada para este público. Todos os aspectos da aula são pensados no perfil de cada aluno ou aluna; cada exercício respeita os limites individuais e a medida que vão apresentando avanços vou aumentando as exigências. Vou dosando conforme os resultados que elas apresentam", explica Regina, e ainda ressalta: "No grupo nada é imposto, nas apresentações de fim de ano só participa quem quer, o importante para mim é ter a certeza que minhas alunas se sintam a vontade e felizes com as aulas".

 A metodologia agradou e as aulas ganham mais adeptos a cada ano. A turma tem alunos e alunas de todas as idades. "Tenho alunas com cinquenta anos ou mais que estão calçando uma sapatilha pela primeira vez e estão amando os resultados", conta Regina. A professora diz amar o que faz, e que é muito gratificante ensinar os primeiros passos para quem nunca dançou, ver que as pessoas estão fazendo o que gostam e deixando o preconceito de lado. 

E se você acha que são movimentos lentos demais, calmos demais, pasmem, em uma aula é possível queimar 300 calorias ou mais!

Depois de todas essas informações vale a pena deixar os temores de lado, calçar as sapatilhas e se permitir.

Publicidade

Cuidar da saúde, esculpir o corpo, alongar a coluna, corrigir a postura, trabalhar a respiração e muito mais através dessa dança encantadora. Você irá se surpreender!  #Beleza