O Governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, eleito em 2014, está internado no Hospital pró-cardíaco em Botafogo, no Rio de Janeiro, há uma semana. Foi diagnosticado nesta quinta-feira (24/03) com um tipo incomum de linfoma (não-hodgkin) que acomete os ossos, a #Doença atingiu duas vértebras. 

Segundo o oncologista, Daniel Tabak, que acompanha o #Tratamento de Pezão, disse que esse tipo de câncer é muito raro e agressivo, mas com grande potencial de cura e 70% das pessoas que fazem tratamento para esse tipo de linfoma, são curados.

Em uma coletiva com a imprensa, informou de tirou 30 dias licença para fazer o tratamento, as sessões de quimioterapia se iniciam nesta quinta feira(25/03), disse que está confiante e que este é momento de se aproximar mais da família.

Publicidade
Publicidade

A doença

O linfoma primário nos ossos é um tipo raríssimo e pode ser confundido com outras doenças ósseas, representa menos de 2% de câncer maligno nos ossos, os longos são os mais comprometidos tipo: fêmur, osso vertebral e o osso ilíaco.

O linfoma não-hodgkin tem mais de 20 tipos, é mais comum em pessoas acima de 40 anos. 

Fatores de risco 

Deficiência do sistema imunológico - Consequências genéticas ou doenças que afetam o sistema imunológico como: infecção por HIV, H. Pylori (bactéria que acomete o estômago)  e portadores do vírus epstein barr(herpes humano).

Exposição química ou exposição a alta radiação 

Sintomas- O sintoma mais comum é a dor e/ou alteração local.

O diagnóstico- É feito através de biópsia, aspiração da medula óssea, punção lombar, punção aspirativa ou radiografia.  

Tratamento- O tratamento consiste em radioterapia ou quimioterapia ou ambos juntos.

Publicidade

Existem dois grupos de linfoma ósseo distintos, o primeiro o grupo possui três tipos que são resistentes á radioterapia e quimioterapia e o segundo grupo é sensível á radioterapia e quimioterapia, o linfoma nao-hodgkin faz parte desse grupo.

Os linfomas não-hodgkin se divide em dois tipos os indolentes e agressivos; os indolentes tem crescimento lento, os paciente apresentam poucos sintomas por vários anos e a cura é menos provável, no tipo agressivo os sintomas aparecem com mais rapidez, mas em geral, os pacientes são curados. #Medicina