A fosfoetanolamina, mais conhecida como "Pílula do Câncer" continua causando grande polêmica entre os brasileiros, principalmente aqueles que estão em busca de uma solução para o seu problema, aqueles que sofrem com o câncer. Produzida na Universidade de São Paulo, esta pílula tem sido apontada para a grande cura deste mal, porém esta não é a opinião de todos.

E agora é o Conselho Regional de #Medicina de São Paulo que está solicitando aos médicos que não receitem a "Pílula do Câncer" aos seus pacientes e ameaça até de "cassação de registro profissional" caso algum desobedeça esta solicitação.

O problema é que há poucos estudos ainda sobre a pílula e o CRM de São Paulo está questionando a verdadeira eficácia do medicamento.

Publicidade
Publicidade

Foi realizada uma audiência pública pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) em que ficou confirmado que se acontecer da instituição receber qualquer denúncia de médico prescrevendo a fosfoetanolamina, o médico será processado e rigorosamente punido.

A Agência Brasil informou que a fosfoetanolamina vem sendo produzida por um laboratório que não oferece as devidas qualificações sanitárias para que uma pílula desta possa ser preparada.

Outra questão apresentada é que a "Pílula do Câncer" ainda não tem o registro que é fornecido pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), assim como o laboratório não tem a autorização para realizar trabalhos com síntese de medicamentos. Por tudo isso, a fosfoetanolamina não poderá ser prescrita pelos médicos, conforme determinação do CRM-SP.

A fosfoetanolamina é um medicamento novo, por isto há toda uma exigência para que sejam feitos todos os testes e finalmente sejam oferecidas as informações sobre sua composição, uso e o grau de segurança apresentado, assim como a eficácia necessária para o tratamento.

Publicidade

Muitos pacientes que usaram a “Pílula do Câncer” garantem que foram curados ou apresentaram grande melhora após o uso do medicamento, por isto esta é uma questão que precisa ser resolvida urgente, pois a polêmica vem crescendo já que de um lado estão as pessoas precisando de uma solução para o câncer e do outro as indústrias e profissionais querendo mais cautela na liberação e uso da fosfoetanolamina. #sistema de saúde