A famosa “dor de cabeça” ao falar de sexo, muito praticada pelas mulheres, deixou de ser uma desculpa e se tornou um assunto sério. Mas não é aquela dor de cabeça antes do início do ato sexual. Estamos falando de ‘cefaléia orgástica’, dor de cabeça que se inicia durante a relação sexual.

A ‘cefaléia orgástica’ começa em média 3 minutos antes do orgasmo. De forma branda, a dor vai aumentando e chega no limite máximo durante o orgasmo e continua por várias horas. Existem duas características da ‘cefaléia orgastica’: a benigna e a maligna.

A ‘cefaléia orgástica benigna’ afeta tanto homens quanto mulheres, principalmente aquelas pessoas que sofrem de enxaqueca.

Publicidade
Publicidade

Tudo acontece quando o sistema nervoso altera a sensação de prazer para a sensação de dor. Tudo não passa de uma confusão e de um desequilíbrio químico, afirma Alexandre Feldman, presidente da Associação Brasileira para Prevenção da Enxaqueca.

Já a ‘cefaléia orgástica maligna’, além de ser rara, pode causar a morte da pessoa. Tudo isso é provocado por um aneurisma cerebral. Nesses casos, o acompanhamento médico é imprescindível, pois a detecção do possível problema pode ser feita através de exames clínicos.

Causas

Um dos principais fatores que contribuem para o surgimento da ‘cefaléia orgástica’ é o estresse. Pessoas que tem o hábito de dormir tarde, fazer uso constante de doces, refrigerantes e produtos industrializados também podem desenvolver a #Doença.

Muitas pessoas que sentem essa dor de cabeça durante o ato sexual sequer sabe o verdadeiro problema.

Publicidade

Muitos preferem não dividir a informação com o parceiro(a) com medo de possíveis problemas na relação. Com isso, algumas pessoas começam a evitar relações sexuais, causando grande insatisfação com o(a) cônjuge.

Como evitar

Alguns hábitos podem ajudar a evitar a ‘cefaléia orgástica’. Procure se alimentar da forma correta e nos horários corretos. Evite refrigerantes, chocolates, biscoitos recheados e açúcar. Dormir mais cedo, evitando o hábito de assistir televisão ou navegar na internet até altas horas, assim como praticar exercícios físicos regularmente também são boas opções para combater o aparecimento da doença.

Esses bons hábitos contribuem para uma mudança significativa na saúde e também esteticamente, já que o consumo de refrigerantes e açúcar está entre os principais vilões da obesidade. #Curiosidades #Alimentação Saudável