Considerado o homem mais obeso do país, o colombiano Oscar Vasquez Morales, de 44 anos, pesa, atualmente, 400 quilos. Ele está pronto para iniciar um tratamento que irá fazê-lo perder 300 quilos em cerca de três ou quatro anos, segundo informou a AFP.

De acordo com o Daily Mail, foi preciso chamar o caminhão dos bombeiros que, prontamente, atendeu a solicitação enviando uma equipe com vinte homens para retirá-lo de sua casa, na cidade de Palmira na Colômbia, quando Morales precisou ir à clínica para o início do tratamento. A fundação "Gorditos de Corazon", especializada em casos de 'gordura mórbida', ficou encarregada de dar atendimento necessário ao caso do colombiano.

Publicidade
Publicidade

CIRURGIAS

A previsão é que Morales seja submetido a três procedimentos cirúrgicos: primeiro, será introduzido um balão cirúrgico; a seguir passará por uma intervenção de 'sleeve' ou cirurgia de 'manga gástrica'; e, por último, fará a cirurgia de 'bypass gástrico'. Durante todo o tratamento, estão previstos acompanhamentos médicos como, nutricionistas, psicólogos dentre outros.

Oscar Vasquez Morales vive há quase dez anos preso à cama por causa de seus 400 quilos, sendo agora o homem mais obeso da Colômbia. Sua vida corre sério perigo caso não seja reduzido imediatamente seu peso e o IMC (Índice de Massa Corpórea). Segundo Morales, uma das coisas que mais o deprimem é depender de ajuda da família para realizar as tarefas mais simples do dia a dia como, tomar banho e vestir-se. Hoje, ele está sob tratamento severo na fundação Gorditos .

Publicidade

Salvador Palácio González é diretor da fundação Gorditos de Corazon e também lidera um projeto para resgatar obesos em todo país, cujo objetivo é salvar da morte pessoas com obesidade mórbida. Segundo ele, a história de Morales o comoveu muito e, apesar de já ter visto inúmeros casos tristes, o dele foi o mais extremo até hoje. González também faz um alerta em relação ao aumento de número de casos como o de Morales, segundo ele, "estamos vivendo uma epidemia de grandes proporções". #Dieta #Doença #Alimentação Saudável